“Neste concerto ouvimos um trio de cada uma das três grandes figuras do classicismo vienense: Haydn, inspirando-se nas melodias do folclore cigano húngaro, Mozart, escrevendo sob o mesmo sopro de que resultariam as Sinfonias 39 e 41, e Beethoven, apresentando-se pela primeira vez aos vienenses, enquanto compositor com obra editada”, segundo nota da organização do ciclo.

O programa do concerto, hoje às 21:30, na sala da música do Palácio de Queluz, que se encontra esgotado desde sexta-feira última, é constituído pelo Trio em Sol Maior (Hob XV:25), de Franz Joseph Haydn, o Trio em Dó Maior (KV 548), de Wolfgang Amadeus Mozart, e o Trio em Sol Maior (Opus 1 n.º 2), de Ludwig van Beethoven.

O agrupamento La Gaia Scienza é constituído por Federica Valli (pianoforte), Stefano Barneschi (violino) e Paolo Beschi (violoncelo), que, segundo a mesma fonte, é “considerado um dos mais invulgares e interessantes grupos da cena musical italiana”.

O III Ciclo Noites de Queluz é organizado pela Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML), que gere o património histórico do concelho de Sintra, em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, sob a direção artística do violetista, regente e musicólogo Massimo Mazzeo, e “propõe uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo”.

“Até ao momento, já assistiram aos concertos das ‘Noites de Queluz’, 1.117 espetadores”, disse à Lusa fonte da PSML, acrescentando que a este total há a acrescentar os espetadores do concerto de sexta-feira à noite pelo Helianthus Ensemble, estando o concerto de hoje já esgotado (180 pessoas).

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.