Em comunicado, a UMinho sublinha que a edição é gratuita e pode ser descarregada em www.betweien.com.

"Esta publicação infantil foi concebida num ‘tempo recorde' de 48 horas, desde textos, ilustrações, paginação, correções e verificação científica dos conteúdos", acrescenta.

Da responsabilidade da Betweien, o ‘ebook’ explica "de forma descomplicada" o novo vírus de impacto mundial, de que forma se pode combatê-lo e como é que as crianças podem desfrutar do tempo em casa com a família, "nesta época marcada pela incerteza e longe da escola".

Aborda-se regras como lavar as mãos no tempo de uma canção, tossir e espirrar para o braço, acenar em vez de beijar, evitar maçanetas ou corrimões e adiar deslocações.

A obra didática quer, assim, contribuir para manter os mais novos informados, dotá-los com as ferramentas certas para atuarem.

Por outro lado, afirma a responsabilidade social da Betweien, que nasceu em 2011 em Braga e promove o empreendedorismo júnior no ensino básico e secundário do país, sendo liderada por Narciso Moreira, licenciado e mestre em Educação pela UMinho.

A equipa, que inclui outros profissionais diplomados pela UMinho, aposta na inovação educativa, nomeadamente através de livros, cujos conteúdos podem aliar músicas, teatro, performances e debates em escolas e instituições de todo o país.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da COVID-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8750 morreram.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou quarta-feira o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.

Das pessoas infetadas em Portugal, três recuperaram.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de hoje.

A Assembleia da República aprovou quarta-feira o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

O estado de emergência proposto pelo Presidente prolonga-se até às 23:59 de 2 de abril, segundo o decreto publicado quarta-feira em Diário da República que prevê a possibilidade de confinamento obrigatório compulsivo dos cidadãos em casa e restrições à circulação na via pública, a não ser que tenham justificação.

Mais informações sobre o COVID-19.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.