A mesma aponta esta obra, editada pela primeira vez em 1983, como “livro de culto de uma geração que esteve envolvida na guerra colonial [1961-1974] e que, a partir dela, entrou em rutura com o regime português da ditadura”, que foi derrubada a 25 de Abril de 1974.

“Nó Cego”, adianta a editora, “é um romance que simultaneamente participa do documento e do monumento, do poderoso testemunho e da excelente literatura”.

A ação narrativa desenvolve-se em torno de uma companhia de comandos, jovens voluntários numa mais violentas unidades das Forças Armadas Portugiesas.

No próximo sábado, às 18:30, o romance é tema da conversa entre o autor, o cineasta António-Pedro Vasconcelos e o escritor João de Melo, na Livraria Ferin, em Lisboa.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.