Donald Trump estará a ponderar convidar o ator Sylvester Stallone para integrar a sua administração, avançam vários meios de informação nos EUA, incluindo a influente FOX News, cuja ligação com o presidente-eleito é conhecida.

Citando fontes na equipa de transição, a provável posição seria a de responsável pela National Endowment for the Arts, uma agência independente ligada ao governo norte-americano responsável pelo apoio às artes, que tem um orçamento anual de 150 milhões de dólares para financiar projetos de aspirantes a artistas.

Stallone tem uma vasta coleção de arte e também já expôs trabalhos da sua autoria [foto].

Trump, que incluiu durante a campanha um anúncio com um discurso de "Rocky Balboa" (2006), não avançou com qualquer oferta oficial, mas as mesmas fontes adiantam que o ator também estará aberto à ideia, embora não digam se aceitaria a nova responsabilidade.

Ela chegaria numa altura em que a sua carreira recuperou com o bom acolhimento e a nomeação para os Óscares pelo seu trabalho como o velho pugilista em "Creed: O Legado de Rocky".

Membro registado do Partido Republicano, Stallone não chegou a anunciar publicamente o seu apoio político ao milionário, embora o tenha elogiado no início do ano, descrevendo-o como "uma grande personagem de [Charles] Dickens".

"Existem pessoas como Arnold [Schwarzenegger], Babe Ruth, que são maiores do que a vida. Não sei como isso se traduz... para liderar o mundo", contou à revista Variety.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.