"É um final digno de um filme de Hollywood", disse Matthew Loeb, presidente do sindicato IATSE, que representa as dezenas de milhares de funcionários técnicos, num comunicado emitido na noite de sábado.

Operadores de câmara, cenógrafos, figurinistas, maquilhadores e outros trabalhadores por trás das câmaras ameaçaram uma greve a partir da meia-noite de domingo devido à estagnação das negociações sobre um novo convénio coletivo.

O acordo ainda precisa de ser aprovado pelos membros do sindicato.

Após meses de negociações, a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP) - que representa a Disney, Warner e Netflix - recusou a aceitar algumas de suas exigências.

O acordo proposto "aborda questões fundamentais, como os períodos de descanso razoáveis, pausas para comer, um salário decente para os que estão na parte inferior da escala salarial e aumentos significativos de indemnização" das empresas, segundo o comunicado do sindicato.

"Enfrentamos algumas das empresas de tecnologia e entretenimento mais ricas e poderosas do mundo e conseguimos um acordo com a AMPTP que satisfaz as necessidades dos nossos membros", acrescentou Loeb.

A AMPTP confirmou o acordo à CNN, sem fazer mais comentários.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.