Um tribunal francês autorizou esta segunda-feira a estreia no país do filme "Grâce à Dieu" [Graças a Deus].

O realizador François Ozon descreveu o seu trabalho com os atores Melvil Poupaud e Denis Ménochet como uma "ficção baseada em factos reais" à volta do escândalo no seio da Igreja Católica da França com os abusos de um padre pedófilo, Bernard Preynat.

A estreia marcada para sexta-feira (22) estava ameaçada por uma ação dos seus advogados, que queriam que apenas fosse permitida após o fim do julgamento, que ainda não foi marcado.

O juiz determintou que o vencedor do Grande Prémio do Júri no recente Festival de Cinema de Berlim cumpriu a lei ao incluir um texto no fim que refere que o padre é presumivelmente inocente até ser considerado culpado.

Apesar de isso não impedir a estreia, os advogados de Bernard Preynat vão recorrer da decisão por "uma questão de príncipio", uma vez que entendem que isso pode abrir a porta para filmes interferirem com a ação da justiça.

Considerado o caso de podofilia mais importante revelado até agora na França, uma associação contabilizou 85 vítimas do padre.

Está a decorrer em Lyon o julgamento separado do cardeal Philippe Barbarin, arcebispo da cidade e de outras cinco pessoas, por não denunciarem as agressões sexuais pedófilas. A sentença está prevista para 7 de março.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.