O ator Chadwick Boseman, que interpretou no cinema os ícones negros Jackie Robinson e James Brown antes de ser imortalizado como o super-herói Pantera Negra nos filmes da Marvel, morreu na sexta-feira, vítima de cancro, informou o seu representante.

Boseman morreu aos 43 anos em sua casa na área de Los Angeles, Estados Unidos, junto da sua mulher e do resto da família. O ator foi diagnosticado com cancro de cólon há quatro anos, disse a família em comunicado.

"Um verdadeiro lutador, Chadwick perseverou em tudo e trouxe-vos muitos dos filmes que amaram tanto", afirmou a família, para acrescentar: "De 'Marshall' a 'Da 5 Bloods: Irmãos de Armas', 'Ma Rainey's Black Bottom' de August Wilson e vários outros, todos foram filmados durante e entre inúmeras cirurgias e quimioterapia. Foi a honra de sua carreira dar vida ao Rei T'Challa em 'Black Panther'".

O ator nunca tinha falado publicamente sobre a doença, que foi diagnosticada pela primeira vez em 2016, e continuou a trabalhar em diversos filmes de Hollywood.

Uma carreira cheia de papéis icónicos

Nascido na Carolina do Sul, Boseman começou por ter pequenos papéis na televisão. O seu retrato impressionante da estóica estrela de basebol Jackie Robinson, ao lado de Harrison Ford em "42" (2013) chamou a atenção em Hollywood. Um ano depois, voltou a impressionar com a sua interpretação enérgica de James Brown no biopic "Get on Up".

Mas a consagração absoluta surgiu ao encarnar o super-herói Pantera Negra, inicialmente no filme "Capitão América: Guerra Civil", e depois já como protagonista de "Black Panther", tornando-se assim o primeiro ator negro a protagonizar o seu próprio filme no Universo Cinematográfico Marvel, que se tornaria um enorme sucesso de bilheteira em 2018 e arrecadou mais de mil milhões de dólares em todo o mundo.

A obra, passada no fictício reino africano de Wakanda, foi aclamada pela crítica e pelo público e foi nomeada a sete Óscares, incluindo ao de Melhor Filme, a primeira vez que tal sucedeu com um filme de super-heróis. "Black Panther", realizado por Ryan Coogler e com uma equipa criativa maioritariamente afro-americana, é considerado um marco em termos de representação negra no grande ecrã, e a personagem surgiria ainda em "Vingadores: A Guerra do Infinito" e "Vingadores: Endgame", que se tornaria o maior sucesso em valores de receita brutos da história do cinema.

Além de Robinson e Brown, Boseman encarnou ainda outro ícone negro norte-americano, o advogado Thurgood Marshall, que seria o primeiro afro-americano a servir no Supremo Tribunal de Justiça, no filme "Marshall", em 2016.

Recentemente, protagonizou o filme de acção "21 Pontes", surgiu no muito elogiado "Da 5 Bloods: Irmãos de Armas", do realizador Spike Lee, e seria estrela da sequela de Black Panther", prevista para 2022.

O ator já tinha filmado para a Netflix uma adaptação da peça "Ma Rainey's Black Bottom", de August Wilson, em que contracena com Viola Davis.

Boseman morreu precisamente no dia em que a Liga Principal de Basebol comemora o dia de Jackie Robinson e em que Jack Kirby, o co-criador da personagem do Pantera Negra na BD (em parceria com Stan Lee) faria 103 anos.

Hollywood de luto com a morte do ator

As reações à morte do ator não se fizeram esperar. Kevin Feige, presidente dos Marvel Studios e o principal mentor criativo dos filmes do Universo Cinematográfico Marvel, referiu em comunicado que "a morte de Chadwick é absolutamente devastadora".

O produtor sublinhou que “ele foi o nosso T’Challa, o nosso Pantera Negra e o nosso querido amigo. Cada vez que entrava num set, ele irradiava carisma e alegria, e cada vez que aparecia no ecrã ele criava algo de verdadeiramente indelével. Ele encarnou muita gente extraordinária no seu trabalho, e ninguém era melhor do que ele para dar vida a grandes homens. Ele era tão inteligente e gentil e poderoso e forte como qualquer pessoa que interpretou. Agora ele toma o seu lugar junto deles como ícones para a eternidade. A família dos Marvel Studios sente um profundo pesar com esta perda e junta-se esta noite ao luto com a sua família.”

Bob Iger, o chairman da Walt Disney Company, também reforçou a importância e a humanidade do ator em comunicado: “Estamos todos muito tristes com a perda trágica de Chadwick Boseman — um talento extraordinário e uma das almas mais gentis e generosas que alguma vez conheci. Ele trouxe imensa força, dignidade e profundidade ao seu papel revolucionário de Pantera Negra; estilhaçou mitos e estereótipos, tornando-se um herói há muito esperado para milhões em todo o mundo, e inspirando-nos a todos a sonhar mais alto e a exigir mais que o status quo. Fazemos o luto por tudo o que ele era, bem como por tudo o que ele estava destinado a ser. Para os seus amigos e milhões de fãs, a sua ausência dos ecrãs só é eclipsada pela sua ausência ainda maior das nossas vidas. Todos nós na Disney enviamos os nossos sentimentos e sentidas condolências à sua família".

Joe Biden e Kamala Harris, o candidato e a vice-candidata à Presidência da República dos EUA pelo Partido Democrata, também já reagiram no Twitter. Biden afirmou que "O verdadeiro poder de @Chadwick Boseman era maior do que aquilo que vimos no ecrã. Do Pantera Negra a Jackie Robinson, ele inspirou gerações e mostrou-lhes que podem ser tudo o que quiserem - até super-heróis. A Jill e eu estamos a rezar pelos seus entes queridos neste momento difícil".

Kamala Harris, que mereceu o último post no Twitter de Boseman em apoio à sua candidatura à vice-presidência, recordou o amigo, como ela licenciado pela Universidade de Harris: "Destroçada. O meu amigo e camarada Bison [da Universidade de Harris] Chadwick Boseman era brilhante, generoso, culto e humilde. Ele partiu cedo demais mas a sua vida fez diferença. Envio as minhas sinceras condolências à família".

As reacções dos colegas nas redes sociais foram imediatas e muito sentidas, nomeadamente de vários membros do Universo Cinematográfico Marvel, como Angela Basset, Sterling K. Brown, Chris Evans, Chris Pratt, Zoe Saldana, Tom Holland, Don Cheadle, Chris Hemsworth, Brie Larson e Mark Ruffallo, bem como de outros como Viola Davis, Dwayne Johnson, Josh Gad, Oprah Winfrey, Halle Berry, John Boyega, Ryan Reynolds, Kevin Hart, Jordan Peele, Carl Weathers, Kerry Washington, Ice Cube e Denzel Washington. Este último ajudou a pagar as aulas de arte dramática ao jovem Boseman na Universidade de Harris, sublinhou que "ele era uma alma gentil e um artista brilhante, que ficará connosco para a eternidade através das suas interpretações icónicas na sua breve mas ilustre carreira. Que Deus abençoe Chadwick Boseman".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.