"007 Spectre" pode ser um sucesso comercial e até ter boas críticas, mas existe pelo menos uma pessoa importante que não é fã: Pierce Brosnan.

Em entrevista ao HitFix, o ator confessou a grande desilusão que apanhou com o último filme da saga.

"Aguardava-o com grande ansiedade. Achei que era muito longo. A história era algo fraca — podia ter sido condensada. Realmente, acabou por ser longo demais."

No entanto, aquele que ocupou a posição de James Bond entre 1995 e 2002 tem um reparo mais substancial a fazer à natureza do filme, recuperando a comparação que outras pessoas já fizeram com os filmes sobre Jason Bourne e a necessidade de decidir o que quer ser.

"Não é carne nem peixe. Nao é Bond nem Bourne. Estou num filme Bond? Não estou num filme Bond?"

Para Daniel Craig estão reservadas palavras elogiosas.

"O Daniel, no quarto [filme], domina aquilo. Estava bem relaxado. É um guerreiro poderoso e penso que ele encontrou um grande sentido de si mesmo neste filme com as frases chave e o bom humor. É arranjar uma história mais aprimorada e ele terá outro clássico."

Na mesma entrevista, Pierce Brosnan também relativizou o já famoso comentário sobre Craig preferir "cortar os pulsos" a fazer outro filmes sobre James Bond, feito à Time Out London quatro dias após o fim da rodagem de oito meses de "007 Spectre".

"Acho que o tipo estava justamente cansado de o interpretar. Pela altura em que se acaba de fazer um filme James Bond, não se quer ouvir o nome, ver o nome ou ter o que quer que seja a ver com isso porque apenas se quer voltar à terra. Dêem-lhe aqui outro ano de folga e ele de certeza vai estar pronto para mais."

O trailer final de "007 Spectre".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.