Uma questão de sentido de oportunidade: Michael Bay vai ser um dos produtores de "Songbird", em que uma pandemia domina a história e será o primeiro filme da "era COVID-19".

Descrito como um "thriller" de baixo orçamento no mesmo género dos filmes "Atividade Paranormal" e "Nome de Código: Cloverfield", o projeto está a avançar a grande velocidade em Hollywood e pode mesmo ser o primeiro rodado em Los Angeles ainda durante as medidas de quarentena forçada pela pandemia.

Apesar dos protocolos de segurança para retomar a produção em cinema e televisão ainda estarem a ser estudados, a equipa de "Songbird" terá conseguido a aprovação dos planos que submeteu aos sindicatos de Hollywood.

Durante a rodagem, não haverá pessoas próximas no local e serão seguidas as regras de distanciamento social. As cenas serão filmadas após a preparação da equipa técnica e os atores nunca terão de estar frente a frente.

A escolha dos atores está a avançar e os ensaios são à distância, mas a produção está prevista para arrancar dentro de cinco semanas.

Segundo o Deadline Hollywood, a história do filme terá lugar dois anos no futuro numa sociedade em que a pandemia não desapareceu e as medidas de confinamento foram levantadas e a seguir novamente implementadas, ao mesmo tempo em que o vírus continua a sofrer mutações.

Tudo andará à volta de como esta situação, mais a paranoia e conspirações governamentais, afetam várias personagens em quarentena.

"Songbird" será realizado por Adam Mason (que dirigiu episódios da série "Into The Dark"), que também co-escreveu o argumento.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.