Os cinemas portugueses tiveram uma quebra acumulada de 1,6 milhões de espectadores, nos primeiros sete meses do ano, por comparação ao mesmo período de 2017, revelou hoje o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA).

No total, até julho, 7,97 milhões os espectadores foram aos cinemas nacionais, por comparação aos 9,57 milhões do período homólogo de 2017, o que equivale a uma redução de 16,8%, sendo a descida de 15,7% registada no mês de julho a terceira mais acentuada do ano, a seguir a abril (40,9%) e maio (20,7%).

No que diz respeito à receita bruta, a quebra sofrida em julho foi a segunda maior do ano (12%), de 8,3 milhões para 7,3 milhões de euros, enquanto no acumulado do ano a quebra de receitas dos cinemas portugueses é de 13,6%.

O filme mais visto desde janeiro foi “The Incredibles 2: Os Super-Heróis”, de Brad Bird, seguindo-se “As Cinquentas Sombras Livre”, de James Foley, e “Vingadores: Guerra do Infinito”, de Anthony Russo e Joe Russo.

Em termos nacionais, o mais visto continua a ser “Bad Investigate”, de Luís Ismael, com “Soldado Milhões”, de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa, em segundo lugar, e “Linhas de Sangue”, de Sérgio Graciano e Manuel Pureza, em terceiro.

“No âmbito da distribuição cinematográfica, de realçar que se mantém uma concentração de mercado em duas empresas, NOS Lusomundo Audiovisuais e Big Picture 2 Films, representando estes dois distribuidores 90,5% da quota de mercado em termos de espectadores”, lembra o ICA.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.