Roland Emmerich já mostrou muito caos ao longo da sua carreira, nomeadamente provocado por uma antiga profecia dos Maias ("2012"), pela invasão da Casa Branca por terroristas ("Ataque ao Poder") e até por Godzilla (no filme de 1998).

Ainda assim, o momento de glória do seu cinema foi quando filmou a Terra a ser atacada por extraterrestres em "O Dia da Independência - ID4" em 1996. Para a história do cinema, ficou a explosão da Casa Branca e uma estrela chamada Will Smith.

O realizador de origem alemã que faz cinema nos Estados Unidos há 25 anos está de regresso com a sequela, "O Dia da Independência: Nova Ameaça", e numa entrevista defendeu que o seu cinema é mais realista do que o dos super-heróis.

O realizador reagiu com desdém quando o jornalista do The Guardian sugeriu que os seus filmes tinham algo em comum com os de super-heróis que atualmente dominam as salas de cinema.

"Quando vê os meus filmes é sempre um tipo normal que é o herói improvável. Muitos dos filmes da Marvel mostram pessoas em uniformes engraçados a correr", esclareceu.

"Não gosto de pessoas em capas. Acho pateta quando alguém usa um uniforme de super-herói e voa. Não percebo isso. Cresci na Alemanha, provavelmente é por isso", concluiu.

"O Dia da Independência: Nova Ameaça" estreia a 23 de junho.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.