Um ano depois da morte do realizador Fernando Lopes, o Panorama presta-lhe homenagem, exibindo «Belarmino», documentário de 1964 sobre o pugilista Belarmino Fragoso. Na sessão de abertura atuará o trio Hot Club de Portugal, que surge no filme de 1964 e do qual fizeram parte Manuel Jorge Veloso (bateria), Bernardo Moreira (contrabaixo) e Justiniano Canelhas (piano).

Entre os mais de 80 filmes da programação do Panorama contam-se algumas estreias, obras sobre Lisboa, filmes encomendados por Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e outros que põem em diálogo a censura, o colonialismo e o cinema.

Entre as estreias destaca-se «Anquanto la Lhéngua fur Cantada», que João Botelho rodou sobre o mirandês e a música tradicional da região de Miranda do Douro. João Botelho andou por montes e vales de Miranda do Douro com a atriz Catarina Wallenstein, o músico Gabriel Gomes e um burro mirandês para filmar as polifonias e a tradição musical da região.

Catarina Wallenstein canta músicas tradicionais do planalto mirandês, adaptadas pelo acordeonista Gabriel Gomes, mas no filme participam ainda as cantadeiras Beatriz Martins e Adélia Garcia, o Grupo de Pauliteiros de Miranda ou os Galandum Galundaina.

Outra das estreias no Panorama dá-se com «Aqui tem Gente», de Leonor Areal, a investigadora que, no ano passado, editou o livro «Cinema Português - Um País Imaginado». O filme «acompanha o processo negocial, os problemas e conflitos» de uma população que foi desalojada do Bairro da Torre, um bairro degradado do concelho de Loures. «Qual o papel dos ativistas no apoio à organização da comunidade? Que política de habitação social para o atual momento de crise?», são duas das questões levantadas pelo filme.

A sétima edição do Panorama, mostra não competitiva, decorrerá entre hoje e o dia 11, no Cinema São Jorge, Cinemateca e Teatro do Bairro. Este ano terá uma secção dedicada a Lisboa, para mostrar diferentes olhares – sociais e culturais – sobre a cidade, como «Domingo à Tarde» (2012), de Cristina Ferreira Gomes, sobre o quotidiano de um grupo de imigrantes paquistaneses.

Do cinema encomendado por Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 foram selecionados «O Fantasma de Novais», de Margarida Gil, ou «A Menina dos Olhos», de Regina Guimarães.

A sessão de encerramento conta com três filmes biográficos de 1969: «Almada-Negreiros, Vivo, Hoje», de António de Macedo, «27 Minutos com Fernando Lopes-Graça», de António-Pedro Vasconcelos, e «Sophia de Mello Breyner Andresen», de João César Monteiro.