Após o sucesso dos super-heróis do universo Marvel no último "Vingadores: Guerra do Infinita", todos em Hollywood acreditam que a Disney prepara-se para quebrar novos recordes com o regresso da família Parr (Pêra em português), estrela do filme de animação "The Incredibles 2: Os Super-Heróis".

O filme pode conseguir a melhor estreia de um filme de animação quando for lançado na sexta-feira (15) nos ecrãns americanos (28 de junho nos cinemas portugueses), 14 anos após o primeiro "The Incredibles - Os Super Heróis ".

De acordo com os analistas, o filme dirigido por Brad Bird deve arrecadar cerca de 140 milhões de dólares no seu primeiro fim de semana, superando o recorde de "À Procura de Dory" em 2016 com 135 milhões.

O primeiro filme arrecadou 633 milhões e conquistou o Óscar de Melhor Filme de Animação em 2005.

"As pessoas esperam este filme há muito tempo", explicou Samuel L. Jackson, que mais uma vez empresta a sua voz ao super-herói Frozone na antestreia em Hollywood na semana passada.

"Aqueles que viram o primeiro filme ainda jovens agora têm filhos, a quem eles vão mostrar [o original] antes de levá-los ao cinema", acrescentou.

O fenómeno Jack-Jack

Para este segundo capítulo, é a mãe Helen que trabalha para salvar o mundo, deixando para o seu marido Bob as lides da casa e das crianças Violet, Dash, bem como o mais novo Jack-Jack . Uma tarefa bastante difícil para os seus incríveis poderes.

Mas a família Parr e seu aliado Frozone terão que se equipar com os seus trajes para lutar contra um novo supervilão que ameaça o mundo.

"É como um filme de espionagem, muito sofisticado, que lembra os anos 60", afirmou Holly Hunter, a voz americana de Helen, durante uma sessão de perguntas e respostas em Los Angeles.

"Há influências muito diferentes, que vêm das paixões de Brad, a sua infância, a sua forma de ser pai. Ele colocou tudo isso na mistura de uma forma muito pessoal", acrescentou ela.

Apesar de um intervalo de 14 anos, "The Incredibles 2" começa cerca de cinco segundos após o final do primeiro, quando a família de super-heróis enfrenta uma nova ameaça.

"Deixamos as pessoas famintas no final do primeiro filme [...] Havia esse vilão, todo mundo queria saber o resultado do confronto", explicou a produtora Nicole Grindle.

"É algo que podemos fazer na animação, quando não podemos esperar 14 anos num filme real", admitiu.

Bebé, criança, adolescente

Os jornalistas especializados e fãs que compareceram à antestreia puderam reagir nas redes sociais. E a maioria parece ter adorado.

"'The Incredibles 2' é muito divertido. Tem um ótimo trabalho de construção dos personagens e do seu universo. É super engraçado e tem sempre ação", escreveu no Twitter Eric Eisenberg, do site especializado CinemaBlend.

"Tinha algumas dúvidas, mas fiquei muito impressionado. Posso dizer que foi uma das melhores estreias do verão", acrescentou.

Para Chris Hayner, da Gamespot, a sequela "aperfeiçoou praticamente tudo" do primeiro filme, apesar de um argumento "um pouco previsível": "O aspeto visual é incrível, os personagens são fantásticos e a história é muito divertida".

"A parte 'super-heróis' é secundária em relação ao papel dos personagens numa família", indicou Brad Bird, para explicar o sucesso de seu primeiro filme.

"Todo mundo foi bebé, muitos entre nós foram crianças de 10 anos hiperativas ou tiveram problemas de adolescente, e muitos são aqueles que tiveram filhos", resumiu.

Trailer.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.