Na sua conta no Twitter, Chris Brown disse que é inocente e que a suposta vítima está a tentar aproveitar-se da situação. O cantor continua em liberdade condicional pela agressão em 2009 à sua namorada na altura, a cantora Rihanna.

«Tenho uma carta de condução válida e dei à mulher a informação correta. Ela viu câmaras e queria fazer uma cena. Ela chamou a polícia e pensou em aproveitar-se do Chris Brown quando na verdade segui os procedimentos adequados», escreveu.

Brown foi acusado de colisão seguida de fuga e de conduzir sem uma carta de condução válida no dia 21 de maio, o dia do acidente, confirmou o Procurador Público de Los Angeles.

Segundo a imprensa americana, Brown bateu na traseira de um Mercedes com o seu Range Rover, perto de Toluca Lake, a norte de Los Angeles. O cantor alega que parou e deu os seus dados mas o site de celebridades TMZ lançou a história de que ele teria fornecido informações falsas.

Depois de saber das acusações, Brown publicou vários tweets. «Não se pode considerar colisão e fuga, se uma pessoa sai do carro, troca informação (e não causa nenhum dano a nenhum dos carros). Isso é verdadeiramente ridículo», postou no Twitter.

«Eu trabalho arduamente para dar tudo à minha família. Cometi erros no passado e trabalhei duro para ser uma pessoa melhor», escreveu, acrescentando: «tenho de limpar meu o nome».

Brown foi condenado a cinco anos de liberdade condicional, a cumprir um ano de um programa contra violência doméstica e a 180 dias de serviço comunitário, depois de ter agredido Rihanna na véspera dos Grammys, em 2009. Na época, apesar da maquilhagem, uma foto do rosto da cantora provocou indignação generalizada.

@SAPO/AFP

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.