O episódio foi recordado hoje rede social Sina Weibo, o twiter chinês, em que centenas de internautas emocionados homenagearam o fundador da lendária banda Velvet Underground.

Praticante de taijiquan desde a década de 1990, Lou Reed aprendeu aquela arte marcial chinesa com um professor chinês residente em Nova Iorque e em outubro de 2007, decidiu visitar a terra natal do mestre, em Jiao Zuo, na província de Henan, centro da China.

Numa entrevista a um jornal local, Lou Reed disse que tinha sido "conquistado pela taijiquan" (ou "T'ai chi ch'uan", como também se escreve) e que a viagem a Jian Zuo era a realização um "sonho antigo": "Vim cumprir um desejo", disse.

O internauta que reproduziu hoje a entrevista no Sina Weibo apresenta Lou Reed como "um velho amigo da China", salientando que na altura o músico praticava taijiquan duas horas por dia. "Nunca me senti tão triste com a morte de um artista. Quase que chorei", escreveu o diretor de uma revista de música.

Um outro internauta disse que a canção "Perfect Day", de um dos discos mais famosos de Lou Reed - "Transformer", de 1972 - mudou a sua vida. A "Mao Livehouse", uma discoteca conhecida da cena underground chinesa, desejou "Boa Viagem" a Lou Reed. "Deus quer ouvir rock n' roll", diz outro comentário.

O cantor rock Zheng Jun escreveu: "Nas canções de Lou Reed não há falsa esperança nem falsa felicidade, mas sim a mais bela melancolia e desespero". Zheng Jun nasceu em 1967, o ano em que os Velvet Underground lançaram o primeiro disco. A China vivia então isolada do resto do mundo, mergulhada numa "grande revolução cultural proletária". Como quase toda a música ocidental, o rock n' roll era considerado um género "decadente".

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.