O single “Rua da Esperança”, composto por Amélia Muge, é o cartão de visita deste álbum, o quarto de estúdio do fadista, em que as autorias são maioritariamente femininas.

Dos 13 temas que constituem o CD, nove são escritos por mulheres. Além de Amélia Muge, que assina outros dois, e que escrevera anteriormente para o fadista “Um copo de Sol”, Pedro Moutinho canta quatro originais de Manuela de Freitas, um de Aldina Duarte e outro de Teresa Tarouca.

Outros autores são Fausto Bordalo Dias, “Eu tenho um fraquinho por ti”, Hermano Sobral, “Olhos estranhos”, Marcos Valle, “Preciso aprender a ser só”, e Tiago Torres da Silva, “Longe de ti”.

A produção e direção musical são de Carlos Manuel Proença, que também acompanha o fadista à viola, sendo os outros acompanhadores José Manuel Neto, na guitarra portuguesa, Daniel Pinto, no baixo acústico, e ainda a participação especial de Ricardo Dias, no acordeão, Gil Gonçalves, na tuba, e Luís Clode, no violoncelo.

O músico Carlos Manuel Proença tinha assumido iguais funções nos CD “Encontro” (2006), que valeram a Moutinho o Prémio Amália Melhor Álbum, em 2008, e “Um copo de sol” (2009).

Pedro Moutinho, distinguido com um Prémio Revelação da Casa da Imprensa, em 2003, começou cantar em 1995, iniciando uma colaboração regular com a casa de fados Café Luso, em Lisboa, da qual é ainda hoje fadista residente.

O intérprete foi uma das escolhas do fadista Carlos do Carmo para integrar o álbum celebrativo de “Um homem na cidade”, e fez parte do elenco do filme “Fados” (2007), de Carlos Saura.

O último álbum de Pedro Moutinho data de 2010 e tratou-se de uma compilação das suas melhores interpretações, contando com dois duos, um com a cabo-verdiana Mayra Andrade, “Alfama”, e outro com Tiago Bettencourt, em “Vou-te levando em segredo”.

No CD “O amor não pode esperar”, o fadista retoma, no fado “Lua Nova”, de Manuela de Freitas, com música de José Fontes Rocha, a mesma temática do fado “Sem sentido”, também da mesma autora, mas na melodia do fado Rosita, de Joaquim Campos, que gravou no álbum “Um copo de Sol”.

Entre os temas do álbum, refira-se “Fui a jogo”, de Manuela de Freitas, numa melodia tradicional de Casimiro Ramos, “Olhos Estranhos”, de Hermano Sobral e música de Maria Teresa Albuquerque, do repertório de António Rocha, “Estranha contradição”, também de Manuela de Freitas, para a melodia do Fado Azenha, de Frederico de Brito, “Sem tirar nem pôr”, de Amélia Muge e música de José Numes, ou “O riso que tu me deste”, de Teresa Tarouca, que Pedro Moutinho interpreta no Fado de Sextilhas de Georgino de Sousa.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.