O realizador de cinema mexicano Alejandro González Iñárritu atacou o seu presidente, Enrique Peña Nieto, por se ter reunido com o candidato presidencial americano Donald Trump, classificando a sua atitude de "traição" num um artigo publicado esta sexta-feira.

O milionário empresário e candidato do Partido Republicano, conhecido pelos seus reiterados ataques e insultos aos mexicanos, encontrou-se na quarta-feira com Peña Nieto na capital mexicana a convite do presidente.

"O convite de Enrique Peña Nieto a Donald Trump é uma traição", escreve num artigo no jornal espanhol El País o vencedor do Óscar de melhor realização deste ano por "The Revenant - O Renascido", repetindo o feito do ano passado com "Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância", que também foi considerado o melhor filme.

"É avalizar e oficializar quem nos insultou, cuspiu e ameaçou por mais de um ano perante o mundo inteiro. É gozar com a dignidade e fortalecer, assim, uma campanha política de ódio em relação a nós", acrescentou.

Sentindo "uma profunda tristeza, indignação e vergonha" pela visita, Iñárritu comparou-a com a perda, após a guerra mexicano-americana (1846-1848), dos vastos territórios da Alta Califórnia e Novo México.

"Há 168 anos, Antonio López de Santa Ana entregou quase metade de nosso território. Ontem, o presidente Peña Nieto entregou o pouco que restava de dignidade", afirma, criticando o governo mexicano por não ter declarado Trump 'persona non grata'.

"Não posso aceitar como representante um governante que, em vez de defender e dignificar os seus compatriotas, seja ele mesmo quem os denigra e coloque em risco ao convidar alguém que, como ele, não é digno de representar nenhum país".

O candidato republicano iniciou a sua campanha no ano passado declarando que o México enviava violadores e outros criminosos aos Estados Unidos através da sua fronteira.

Entre as suas principais promessas figuram a construção de um muro fronteiriço para evitar a entrada irregular de imigrantes, que o México deve pagar, e a deportação de milhares de mexicanos que vivem ilegalmente nos Estados Unidos.

Após o convite, Peña Nieto foi alvo de todo o tipo de críticas, que o acusaram de se ter humilhado diante de Trump, que não pediu perdão pelos seus insultos e, horas depois do encontro, retomou o seu agressivo discurso contra a imigração num comício em Phoenix, Arizona.

Numa entrevista televisiva na quarta-feira, Peña Nieto defendeu-se alegando que "os problemas, as ameaças e riscos que existirem em relação ao México precisam ser encarados".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.