Além de ficar na memória coletiva na pele de Princesa Leia, da saga "Star Wars", entre outros papéis, Carrie Fisher era conhecida pelo seu sentido de humor afiado, do qual até a própria era alvo frequente.

O ultimo adeus à norte-americana, na passada quinta-feira, não foi diferente e tem dado que falar não tanto pelas várias celebridades que convocou, de Meryl Streep a Meg Ryan, mas pela urna na qual o seu irmão, Todd, transportou as suas cinzas.

Em vez de um modelo tradicional, a atriz fez questão de escolher uma réplica em porcelana de uma cápsula Prozac de grandes dimensões, "relíquia" dos anos 1950 e um dos seus objetos de culto.

A opção não tem passado despercebida nas redes sociais e vem reforçar as homenagens espirituosas a Carrie Fisher por parte de fãs em todo o mundo.

A atriz morreu a 27 de dezembro, aos 60 anos, vítima de ataque cardíaco. A sua mãe, Debbie Reynolds, morreu um dia depois, aos 84 anos.

Urna de Carrie Fisher

Foto: Clint Brewer/Splash News

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.