O Festival 20.21 – Évora Música Contemporânea, cuja programação é organizada pela câmara municipal, com direção artística do pianista e compositor Amílcar Vasques-Dias, inclui espetáculos no Teatro Garcia de Resende e nas praças do Giraldo e do Sertório.

“A programação, refletindo o caráter abrangente da música erudita contemporânea, cujas raízes mais próximas se encontram na música do século XX, apresenta obras de autores e intérpretes maioritariamente portugueses”, adiantou hoje o diretor artístico do evento.

E os concertos programados, frisou o responsável, citado pelo município, manifestam “grande variedade de estilos e opções estéticas”.

O “cartaz” do festival arranca, na quarta-feira, com o Quarteto Fernando Lopes-Graça, que atua na Praça do Giraldo, às 18:00, e no Teatro Garcia de Resende, às 21:30, interpretando música de câmara de Joly Braga Santos.

A palestra-concerto “José Afonso: de ouvido e coração” é a proposta para quinta-feira, às 17:30, no hall do teatro, com Arnaldo Trindade, da editora Orpheu, o psiquiatra Jaime Milheiro, o jornalista Viriato Teles, o músico Francisco Fanhais, o violinista Luís Pacheco Cunha e o próprio pianista Amílcar Vasques-Dias, indicou a câmara.

“Sugerida por Arnaldo Trindade, amigo e editor de José Afonso, a palestra-concerto é um ‘lugar de encontro’ do público com individualidades que acompanharam a criação musical de José Afonso ou que se têm dedicado ao estudo da sua obra e personalidade”, resumiu a organização.

Amílcar Vasques-Dias salientou que, embora possa parecer “’estranha’ neste festival”, a iniciativa deve-se ao facto de “a música erudita ter sido também fonte de inspiração para a criatividade musical de José Afonso e para a abordagem que dela fazem os intérpretes” do concerto.

O segundo dia do festival inclui ainda, à noite, igualmente no hall do centenário teatro da cidade, atuações do guitarrista Francisco Berény e do compositor Diogo Novo Carvalho.

As “músicas eletroacústicas” de concertos a solo do percussionista Nuno Aroso fazem-se ouvir, na Praça do Sertório, na sexta-feira, às 18:00, seguindo-se um concerto de saxofone por Carlos Canhoto, no hall do Teatro Garcia de Resende, às 21:30.

O grupo TGB, de Sérgio Carolino, Mário Delgado e Alexandre Frazão, com o seu “invulgar formato instrumental” com tuba, guitarra e bateria, atua no espetáculo previsto para sábado, às 21:30, no teatro.

Esta primeira edição do Festival 20.21 termina, no domingo, com dois espetáculos no teatro, um deles multimédia e intitulado “Uma História da Trompa”, que conta a história deste instrumento e tem performance ao vivo de Laurent Rossi (16:00), e o outro um concerto protagonizado pela pianista Ana Telles (21:30).

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.