A música latina dedicou a quarta-feira ao "rei" Roberto Roberto Carlos, homenageado em Las Vegas como a Personalidade do Ano do Grammy Latino.

"Estou muito emocionado. Sem dúvida é um momento muito especial na minha vida", declarou à AFP o homenageado da noite, vestido com o tradicional fato branco, com uma gravata azul.

"Estou muito orgulhoso com tudo o que consegui", completou, sem esconder a emoção.

Roberto Carlos, de 74 anos, ultrapassou as fronteiras do Brasil na década de 1970, com as suas canções sobre o amor e as mulheres em espanhol, francês, inglês e italiano.

Desde então fez muito sucesso com músicas como "Eu quero apenas", "Cama e Mesa", "Côncavo e Convexo" e "Detalhes", autênticos hinos para seus fãs.

Ao ser questionado sobre o segredo para manter os fãs por tantos anos, o artista foi modesto: "Não sei se existe, preciso descobrir", disse com um sorriso.

Dezenas de artistas de Espanha e da América Latina reuniram para celebrar a carreira do brasileiro, na sua maioria vestidos de branco em homenagem a Roberto Carlos.

O espanhol Miguel Bosé, Personalidade do Ano em 2013, recordou que Roberto Carlos "tem sido a banda sonora de muitos corações durante muitas décadas”. Acrescentou ainda que Roberto "criou um estilo e contribuiu muitíssimo. É um dos maiores", disse à AFP.

Uma opinião similar a da mexicana Julieta Venegas. "Ele é uma referência, alguém que escutamos muito na minha família", afirmou.

O colombiano Carlos Vives não escondeu o nervosismo com a oportunidade de conhecer uma "lenda da música". "Deixa um legado maravilhoso. As suas canções são românticas e acredito que o romantismo não deve passar de moda porque é a maneira de falar à mulher e ao amor".

Emoção

Vives e Venegas interpretaram "O progresso" durante a homenagem, que se transformou num concerto de amigos, para celebrar a vida e obra de Roberto Carlos.

Alejandro Sanz, com uma viola, apresentou uma versão de "Lady Laura". "Obrigado por tua música", disse no palco.

Leslie Grace e Maluma, novas promessas da música americana e colombiana, cantaram "Jesus Cristo", uma das várias canções com as quais o brasileiro expressou a sua fé católica.

Romeo Santos cantou "Un gato en la oscuridad", Ana Carolina e Seu Jorge "À distância", Jesse & Joy "A Montanha", Dionne Warwick "Falando Sério" e Victor Manuelle "Desabafo", entre outros.

As 1300 pessoas presentes no evento aplaudiram de pé quando Roberto Carlos subiu ao palco para receber a grafonola.

"Nunca vou esquecer (este momento) na minha vida", afirmou, a respeito do reconhecimento da Academia Latina da Gravação.

Como agradecimento, o brasileiro cantou em português "Emoções" e em espanhol a versão de "Eu quero apenas" ("Un millón de amigos"), ovacionada pelo público.

Os mexicanos Leonel García e Natalia Lafourcade têm o maior número de nomeações, seis e cinco, respetivamente.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.