De acordo com a organização da iniciativa, em comunicado, depois de uma paragem no ano passado, devido à pandemia da COVID-19, “o Lisboa Mistura está de regresso em 2021 para uma edição especial que reúne muitos dos músicos, artistas e atores sociais que se têm debruçado sobre as questões centrais que lhe servem de base”.

A organização recorda que o Lisboa Mistura se tem afirmado, ao longo de 15 anos, “como um espaço intercultural destinado ao conhecimento e à inscrição de novas linguagens e tendências que nascem dos encontros urbanos que marcam a contemporaneidade criativa de Lisboa”, tendo-se tornado nos últimos anos “num reflexo do enriquecimento, partilha, celebração e saudável confronto que têm origem no ecossistema sociocultural da cidade de Lisboa”.

Além disso, esta iniciativa “é também um momento de construção da alegria necessária para se viver lado a lado, resistindo à normalização da diferença e (re)construindo laços apoiados na inclusão através de propostas culturais que representam e integram o ecossistema da cidade de Lisboa”.

A programação desta edição arranca no dia 25 de junho, às 20h30, com um espetáculo da cantora Selma Uamusse, que contará com Gospel Collective, Rodrigo Leão, Sara Tavares e Tó Trips, como convidados.

Para dia 26 de junho estão agendados o concerto “D’Improviso – Ritmo e Improvisação” com o Carlos Martins Quinteto (Carlos Martins no saxofone, Mário Delgado na guitarra, Carlos Barretto no contrabaixo, Hugo Menezes na percussão e Alexandre Frazão na bateria), às 17h30, o debate “Cidadania em Ação”, e uma atuação de Stereossauro, que terá como convidados Camané, Capicua, Carlão, Chullage, NBC e Ricardo Gordo, às 20h30.

Antes do espetáculo de Stereossauro haverá um ‘warm up’ (aquecimento, em português), a cargo da dupla Beatbombers (Stereossauro e DJ Ride) com Cabrita.

Para o terceiro e último dia do Lisboa Mistura, 27 de junho, estão marcados a Festa Intercultural, com a participação de Braima e Canango (Guiné-Bissau), Cheong Li (Macau), Jhalak (Índia), Fado Bicha (Portugal) e Baque Mulher (Brasil), às 15:30, uma atuação do DJ Cruzfader, às 19:00, e as atuações dos formandos da edição deste ano da OPA – Oficina Portátil das Artes, projeto pedagógico e artístico destinado a jovens da Área Metropolitana de Lisboa, promovido há mais de dez anos pela Associação Sons da Lusofonia e pelo qual já passaram, enquanto formandos, Mynda Guevara e Estraca.

Os espetáculos do Lisboa Mistura são de acesso gratuito. Os bilhetes são diários e só podem ser levantados no próprio dia, no local.

A bilheteira estará aberta entre as 10:00 e as 22:00 nos dias 25 e 26 de junho e entre as 10:00 e as 20h00 no dia 27.

Cada pessoa só pode levantar, no máximo, dois bilhetes.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.