Em 2015, "Open Bar", uma versão de "Lean On", de Diplo, começou a fazer mexer as pistas de dança no Brasil, e o nome Pabllo Vittar foi despertando mais e mais curiosidade junto da comunidade LGBTQ+. E o sucesso chegou com "Todo o Dia", um dos temas mais tocados na época do carnaval em 2017.

Seguiu-se "K.O.", um dos singles do primeiro álbum da artista, "Vai Passar Mal". "Yukê" (expressão que significa "e o quê?")? A partir daí, Pabllo Vittar não mais parou e começou a atravessar fronteiras com "Sua Cara", tema em parceria com os Major Lazer e Anitta.

Do primeiro disco saíram ainda os temas "Corpo Sensual", "Então Vai" e a balada "Indestrutível". Já com uma grande legião de fãs, dentro e fora do Brasil, a artista surpreendeu ao atuar num pequeno palco do Rock in Rio Brasil 2017, no Rio de Janeiro - se os números nas redes sociais não chegassem, a atuação surpresa no festival acabou com todas as dúvidas: mais de 50 mil pessoas assistiram ao pequeno concerto de Pabllo Vittar, que não fazia parte do cartaz. Este vídeo é um exemplo da festa em torno do showcase no Rock in Rio.

Um EP, dois discos, um documentário na Apple Music e uma série na Netflix (Pabllo Vittar dá voz a uma personagem na série de animação "Super Drags"), a artista está "linda, livre, leve e solta" e a conquistar o mundo.  De single em single, foi agarrando mais e mais seguidores: no Instagram, a drag queen soma mais de oito milhões de seguidores, tendo ultrapassado a estrela RuPaul (2,8 milhões de seguidores); já no Spotify, mais de 2800000 pessoas ouvem os temas da artista todos os meses; e no Youtube, a brasileira é seguida por mais de cinco milhões de pessoas.

Mas como é que tudo começou? Qual a primeira ligação com o mundo da música? "Quando a minha mãe cantava na igreja, levou-me para o grupo coral  e comecei a cantar aí, em pequenininho. Mas a música está na minha vida desde sempre. Tinha cinco anos, estava no colégio, era criança, e já cantava apenas por diversão. Era mesmo só diversão, naquela altura. Mas apesar de ser uma criança, sabia que queria fazer aquilo, que queria cantar", conta em entrevista ao SAPO Mag.

PABLLO VITTAR

O reality show "RuPaul’s Drag Race", disponível em Portugal na Netflix, foi uma inspiração e mostrou um novo mundo de possibilidades à artista. "Comecei a acompanhar  'RuPaul’s Drag Race' na terceira temporada e já conhecia um pouco do mundo das drag queens. Mas só conhecia drag queens brasileiras, que são drag queens de concursos... eu gostava de ver, mas não queria ser uma. Não queria ser uma drag queen de um concurso. Quando vi pela primeira vez 'RuPaul’s Drag Race', vi que existiam drag queens que cantavam, que eram modelos. E foi aí que me quis 'montar' (vestir de drag queen) e cantar. Comecei a juntar duas coisas que eu gostava", recorda.

Aos 24 anos, Pabllo Vittar está a viver um sonho e as dificuldades não são problema. "Não sei quais são os grandes desafios porque todos os dias divirto-me imenso. Adoro o que faço porque conheço imensas pessoas e viajo muito. Visto-me como drag queen quase todos os dias e isso é incrível. Gosto imenso", confessa.

Ouça os principais singles de Pabllo Vittar

"Não dou importância aos preconceitos. Sou muito feliz a fazer o que faço e tento ficar longe dessa negatividade", frisa.

Com as suas canções, Pabllo Vittar espera sempre ajudar os fãs. Para a artista, os números não são importantes: o importante é passar uma mensagem de esperança. "Adoro interagir com os meus fãs nas redes sociais porque trabalho para os meus fãs. Mas são só números, sabes? A quantidade não importa. O importante é a qualidade. O que importa realmente é a representatividade que trago para o meu país, o Brasil, para as cidades do interior e para as pessoas que, como eu, sonham em construir uma carreira. Eu tenho muita esperança que as pessoas consigam alcançar os objetivos que têm", confessa.

PABLLO VITTAR

"Recebo muitas mensagens de pais que me conheceram e que começaram a aceitar mais os filhos e vice-versa. Fico feliz porque nasci numa família que me apoiou e isso não é a realidade de muita gente aqui no Brasil. Quando recebo este tipo de mensagens de pessoas que começam a abrir a mentalidade... fico feliz. Lembrem-se sempre que não existe mal nenhum em serem diferentes e é tão bom isso. Viva a diversidade", sublinha.

No final de 2018, Pabllo Vittar editou o seu segundo disco de originais, "Não Para". "Senhoras e senhoras é prazer recebê-los aqui. Apertem os cintos e tenham todos uma boa viagem", diz no arranque do primeiro tema do disco, que conta com os singles "Disk Me", "Problema Seu" e "Seu Crime".

A inspiração para as canções é fruto de histórias da vida de Pabllo Vittar: "Estou sempre muito entusiasmada para criar coisas novas. O meu processo criativo é muito próprio. Tiro as minhas letras das minhas vivências, das coisas que eu vivo no dia a dia, das coisas que recebo dos meus fãs, de histórias minhas, de histórias que me contam. É sempre algo muito verdadeiro. Sou muito verdadeira na minha música".

PABLLO VITTAR

Para lá do disco, a artista tem somado colaborações: Anitta, Ludmila, Mateus Carrilho, Charli XCX, Sofi Tukker, Diplo, Major Lazer, Lucas Lucco, Preta Gil, Titica e Luan Santana foram alguns dos artistas com quem Pabllo Vittar já trabalhou. "Gostei de fazer todas as minhas colaborações. É sempre bom fazer música com outros artistas porque tudo fica muito mais rico. Gostei muito de fazer a canção, de cantar, com a Charli XCX e com o duo Sofi Tukker. Adorei também fazer música com a Titica, que é uma cantora incrível. Gostei de todas, mas gostava muito de fazer uma parceria com a Lana Del Rey. Sou mesmo fã", confessa.

"Vou levar o melhor espetáculo que Portugal já viu"

A estreia de Pabllo Vittar em Portugal está marcada para o dia 24 de abril, no Campo Pequeno, em Lisboa. Na mesma semana, a artista vai animar o famoso Heaven, em Londres, discoteca que já recebeu atuações de Madonna, Lady Gaga, Kylie Minogue ou Cher.

Pabllo Vittar

"Estou a preparar o meu corpo e a minha mente porque vou levar o melhor espetáculo que Portugal já viu. Quem ainda não viu os vídeos da digressão, procurem na internet porque vão ficar chocados e com muita vontade de ir. É muito empolgante, muito dançante. Vamos ter muitos efeitos e a coreografia já está bem ensaiada. Estou muito entusiasmada com o concerto. Vamos levar o melhor espetáculo para Portugal e estou mesmo ansiosa. No ano passado, eu fui aí e percebi o carinho dos fãs. Tenho recebido muitas mensagens e estou muito feliz", avança ao SAPO Mag.

O último disco, "Não para não", e os principais sucessos da carreira da artista de 24 anos vão compor o alinhamento. "No concerto, vamos fazer o disco 'Não para não', que é o meu último álbum e que dá nome à digressão. Vamos passear pelo álbum 'Vai Passar Mal', pelo EP e pelas minhas colaborações. Vai ser uma 'surra' de hits, um sucesso atrás do outro. O público não vai parar de dançar - o espetáculo tem mais ou menos uma hora e vinte e eu canto todas as músicas. Vamos-nos divertir muito", garante.

"Vai ser um espetáculo incrível, com muito calor brasileiro. Vou ter muitas surpresas... quem for... verá! Estou à espera de todos", convidada Pabllo Vittar.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.