O Canal História estreou, em exclusivo, a 21 de janeiro, "Os Homens que construíram a América", série que traça os perfis dos homens cuja imaginação, ousadia, clarividência (e algumas manobras) fizeram dos Estados Unidos a força económica que é atualmente.

No final da Guerra Civil, o país estava destruído financeira e psicologicamente. O Norte e o Sul tinham investido inúmeros recursos na guerra, secando a economia e o espírito otimista da nação. O assassinato do presidente Abraham Lincoln, em abril de 1865, apenas dias após o final da guerra, foi mais um golpe para os norte-americanos. Dada a situação, alguns previam um declínio nacional.
No entanto, em apenas algumas décadas após a guerra, os EUA conseguiram tornar-se numa dos principais superpotências económicas e políticas a nível mundial.

A série "Os Homens que construíram a América" capta esse crescimento dos EUA após a Guerra Civil, atribuíndo esta grande expansão industrial e nacional à destreza e coragem de alguns homens: Vanderbilt, Carnegie, Rockefeller, Morgan, Frick e Ford. Os seus nomes atravessam a sociedade atual, um testemunho do poder e alcance das empresas que construíram.

Agora, pela primeira vez, os telespectadores podem ver como estes homens criaram uma nação a partir das cinzas da Guerra Civil, impulsionados pela própria determinação em competir, correr riscos e consolidar poder. Enquanto as suas histórias individuais já foram contadas muitas vezes, a série explora as ligações profundas entre estes homens, mostrando negócios de bastidores e ligações inesperadas que os uniram, e, por vezes, os dividiram.

EPISÓDIOS:

O INÍCIO DE UMA NOVA GUERRA

Cornelius Vanderbilt apercebe-se da necessidade de união para recuperar o prestígio perdido dos EUA no mundo. Quando o país tenta erguer-se, depois da destruição da guerra civil, Vanderbilt decide vender o seu império de navios para transformá-lo em caminhos-de-ferro, uma vez que sabe que é a melhor forma de unir o país de este a oeste.
Segunda-feira, 21 de janeiro, às 23h35. Terça-feira, 22 de janeiro, às 6h25, 12h50 e 16h15.

A DESCOBERTA DO PETRÓLEO
Depois da escuridão, o querosene ilumina os EUA de uma forma sem precedentes. A procura de petróleo era muito elevada e Vanderbilt sabia que esse líquido podia alimentar os seus comboios. Para isso, recorre a um jovem empresário do petróleo de Ohio, John D. Rockefeller.
Segunda-feira, 28 de janeiro, às 23h35. Terça-feira, 29 de janeiro, às 6h25, 12h50 e 16h15.

NASCE A RIVALIDADE
Andrew Carnegie emigra para os EUA com os seus pais e começa a trabalhar aos 12 anos. Ao trabalhar nos caminhos-de-ferro, encontra Tom Scott, um benfeitor que lhe ensina o negócio. Aos 30 anos, e já à frente da sua própria empresa, Scott contrata-o para construir uma ponte sobre o rio Mississípi para ligar o este e o oeste por comboio, de uma forma que até então não se julgava possível. Carnegie aceita, mas não sabe como construir uma estrutura suficientemente resistente. Vai encontrar a sua resposta no aço. Antes de Carnegie perceber as verdadeiras possibilidades deste metal, o seu protetor, Scott, acaba os seus dias humilhado pelas manobras de Rockefeller com os oleodutos. Carnegie jura vingar-se e derrotá-lo.
Segunda-feira, 4 de fevereiro, às 23h35. Terça-feira, 5 de fevereiro, às 6h25, 12h50 e 17h.

SANGUE DERRAMADO
Carnegie contrata um capanga, Henry Frick, para ajudá-lo a acabar com Rockefeller. A associação parece prometedora, mas Carnegie não sabe que Frick está a fazer as suas fábricas funcionarem muito acima da sua capacidade. A tentativa de aumentar os lucros de Frick dá azo a um dos maiores desastres dos EUA: a inundação de Johnstown, que matou mais de duas mil pessoas. Carnegie odeia gerar antipatias e o seu desejo inicial de vingança fica por terra.
Segunda-feira, 11 de fevereiro, às 23h35h. Terça-feira, 12 de fevereiro, às 6h25, 10h30 e 12h50.

SURGE UM NOVO RIVAL
Enquanto Carnegie e Rockefeller continuam a sua batalha, J. P. Morgan aparece em cena e funda o banco de Nova Iorque. O seu objetivo é promover o avanço tecnológico dos EUA, e para isso começa a investir na nova invenção de Thomas Edison: a luz elétrica.
Segunda-feira, 18 de fevereiro, às 23h35. Terça-feira, 19 de fevereiro, às 6h25, 12h50 e 17h.

DONO DE TUDO
Morgan ajuda a criar a Edison Electric Company, que começa a instalar eletricidade nas casas de Nova Iorque. Logo aparece um rival, Nikola Tesla, com uma tecnologia diferente para produzir luz elétrica. Edison está convencido de que a sua invenção é melhor e entra em guerra com Tesla. À medida que a situação se complica, Morgan começa a perder a fé. Finalmente, a tecnologia de Tesla impõe-se e a sua teoria da corrente alternada torna-se na comummente aceitada. Morgan despede Edison e muda o nome de Edison Electric Company para General Electric, que continua a ser uma das maiores empresas do mundo nos dias de hoje. Edison promete não se dedicar mais à eletricidade e começa a trabalhar na sua câmara de cinema.
Segunda-feira, 25 de fevereiro, às 23h35. Terça-feira, 26 de fevereiro, às 6h25, 12h50 e 16h15.