O final prematuro e trágico da personagem de José Carlos Pereira em «Mar de Paixão» já está gravado. «Eduardo», o jovem empresário que é apaixonado pela doce «Benedita» (Paula Lobo Antunes), é afogado por dois capangas de Leonel (Paulo Vintém), por estar a proteger a amada com unhas e dentes.

A morte antecipada de «Eduardo» foi decidida para que José Carlos Pereira possa ter tempo e condições para resolver assuntos da sua vida privada.

«Tenho um problema e reconheço que tenho de me tratar», admitiu José Carlos Pereira numa conferência de imprensa, em Julho, convocada para esclarecer especulações relacionadas com o seu atribulado comportamento pessoal e profissional. O actor vai estar então afastado durante três meses e os colegas de elenco já têm saudades dele.

«Vai-me custar imenso a saída do Zeca. Gosto imenso de trabalhar com ele e tenho um enorme respeito e muito carinho», confessa Paula Lobo Antunes a SapoTV. «Ele fez o que tinha que fazer e os motivos só a ele dizem respeito», diz a actriz, lembrando que a saída do protagonista levou a «mudanças significativas na história».

Quem também não se conforma é Nuno Janeiro. O actor contracena várias vezes com o «ex» de Mafalda Pinto, que está a caminho de um centro de recuperação.

«Sinto a falta do Zeca. Ele é um óptimo colega e todos vamos ter saudades», afiança o «Rodrigo Cunha» de «Mar de Paixão».

Recorde-se que José Carlos Pereira não especificou a natureza do seu «problema». Várias notícias dão conta de que sofre de dependência de álcool e que era alvo das críticas dos colegas por chegar tarde às gravações e não ter os textos decorados.

(Texto: Joana Côrte-Real)

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.