Após a invasão da Ucrânia, a Netflix decidiu suspender todos os projetos e compras de produções da Rússia, confirmou a revista Variety.

O projeto mais afetado é "Zato", uma série suspense dirigida por Dasha Zhuk, que já tinha gravado metade dos episódios.

Uma outra, sem título oficial e em que só faltava um dia de rodagem, será concluída.

Duas outras produções já estão finalizadas, mas sem datas de lançamento, incluindo "Anna K", a primeira série dramática original russa da plataforma, uma versão contemporânea de "Anna Karenina".

A decisão coloca um travão numa estratégia de rápida expansão.

A nível global, a Netflix tem 222 milhões de subscritores, mas menos de um milhão serão da Rússia: as quatro produções e a política de aquisição de outras séries, filmes e animações tinham como objetivo aumentar a presença num mercado com um potencial à volta dos 100 milhões de consumidores.

Um dos sucessos globais de audiência foi a aquisição e distribuição em outubro de 2020 da série "To the Lake". Com a pausa, não se sabe se a plataforma irá distribuir a segunda temporada, cuja rodagem terá terminado em setembro do ano passado.

No início desta semana, a Netflix já tinha desafiado o Kremlin ao recusar adicionar programas de propaganda russos à sua plataforma.

De acordo com uma lei que entrou a vigor a 1 de março e aprovada no ano passado pelo Roskomnadzor, órgão de fiscalização e censura das comunicações na Rússia, a Netflix teria a obrigação de incluir conteúdos do Channel One, um dos principais órgãos de comunicação social aliados ao Kremlin, do canal de entretenimento NTV e de um canal dedicado à Igreja Ortodoxa Russa.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.