Uma faixa com os nomes de 129 mulheres assassinadas na França desde o último festival de Cannes foi estendida por feministas na passadeira vermelha do evento este domingo.

A ação coincidiu com a exibição de um documentário sobre feminicídios, apresentado à tarde no concurso.

As 129 vítimas são as mulheres que morreram na França desde julho de 2021, quando foi realizado o último festival.

Nomes como Angélique, Evelyne, Sofya, Nadia, apareciam escritos em preto na longa e estreita faixa branca, que ocupou lentamente os tradicionais degraus do Palais des Festivals, levantada pelas ativistas do coletivo francês "les colleuses".

Algumas das ativistas, vestidas de preto, ergueram os punhos no topo da escada e acenderam sinalizadores pretos.

A cena foi imortalizada pelo fotógrafo francês Raymond Depardon, cujo filho Simon fez, com Marie Perennès, o documentário "Riposte féministe", que mostra ativistas a afixar cartazes durante a noite nos muros das cidades francesas, denunciando a violência contra as mulheres.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.