Lançada para o estrelato graças ao sucesso de
«10, uma Mulher de Sonho», hit de bilheteira da década de 1980,
Bo Derek foi um dos ícones da cultura pop norte-americana desse período.

A programação do evento foi apresentada esta terça-feira, no Museu do Pão e do Vinho de Favaios, por Manuel Vaz, presidente do Festival, e Eduardo Filipe A.K.A. Sama, curador artístico. Outro destaque do DFH 2012 é a sua ligação ao Brasil, uma vez que se apresenta como o evento oficial do Ano Brasil em Portugal. É neste âmbito que será celebrado o centenário de Jorge Amado, dando assim continuidade às homenagens realizadas, a cineastas e autores reconhecidos e intemporais. A homenagem ao autor de «Gabriela, Cravo e Canela» e de «Tieta do Agreste» será marcada pela exibição dos filmes «Jorge Amado», de João Moreira Salles, e «Quincas Berro d’Água», de Sérgio Machado.

A edição 2012 será marcada por uma maior aposta na temática dos vinhos e da gastronomia, que se traduz na abertura de duas novas secções em competição: a secção «Wine Films» e a «Food Films». Outro dos momentos altos do DFH 2012 terá a ver com esta temática, graças à estreia, em Portugal, de «El Bulli: Cooking in Progress».

Com a cidade do Porto a acolher diversos momentos da programação oficial, o DFH passará também em locais como o Museu do Pão e do Vinho em Favaios, Museu do Douro, Rivoli teatro municipal, Hard Club e Casa da Música.

Douro Film Harvest com orçamento de 200 mil euros, metade do ano passado

A quarta edição do DFH tem um orçamento de 200 mil euros, menos 50 por cento do que no ano passado, disse hoje o presidente do evento. O DFH é organizado e produzido pela Expanding World, em parceria com a Entidade Regional Turismo do Douro.

“Esta edição tem um corte de cerca de 50 por cento. Estamos a rondar os 200 mil euros de orçamento”, afirmou Manuel Vaz, no decorrer da apresentação do festival de cinema, em Favaios, concelho de Alijó.

O responsável fez questão de explicar que se trata de um “evento privado”, que, este ano, tem um “pequeno e mínimo apoio” da Turismo do Douro. “Este foi um projeto só possível à existência da Turismo do Douro, foi assim que tudo começou e obrigatoriamente teve que ter um modelo de sustentabilidade e hoje é, no fundo, financiado por 93 por cento por patrocinadores privados”, salientou.

Este esclarecimento vem na sequência da anunciada extinção da Turismo do Douro, inserida no pacote de entidades regionais anunciado pelo Governo.

De acordo com o anteprojeto de proposta de lei anunciado em julho, o Douro vai ser integrado na entidade regional Turismo do Porto e Norte de Portugal.

O presidente da entidade regional, António Martinho, referiu que esta é uma “edição mais singela”, mas de “grande qualidade”. “O DFH continua a ser um momento cultural na região e a ser um momento em que nós promovemos o Douro e mostramos o Douro à indústria do cinema”, afirmou o responsável.

A Expanding World é uma plataforma ibero-americana de serviços especializados em eventos e marketing territorial.

A mostra de cinema conta ainda com a parceria do Museu do Douro, Porto Lazer e Núcleo Museológico do Pão e Vinho de Favaios. Esta edição tem a direção executiva da brasileira Paula Bessone. Como curadores do evento foram anunciados Eduardo Filipe, Luisa Sequeira e Rui Reininho.

Diana Chaves e Marcantonio Del Carlo serão os anfitriões do Douro Film Harvest.

O festival decorre entre 26 e 29 de setembro, com menos dias do que na edição anterior, contando com a realização de 30 eventos, que vão decorrer em Favaios, Porto, Peso da Régua, Folgosa do Douro (Armamar). Pelo evento já passaram, nas edições anteriores, nomes como Sophia Loren, Andie MacDowell, Milos Forman, Kyle Eastwood, entre outros.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.