A Bélgica será o país convidado da Monstra - Festival de Animação de Lisboa, que começa a 21 de julho e que contará com perto de 500 curtas e longas-metragens de cinema animado, muitas em estreia nacional.

A programação, hoje anunciada, diz respeito à 20.ª edição da Monstra, que acontecerá no verão, contando com condições mais favoráveis de exibição de cinema em contexto de pandemia.

O festival arrancará de uma forma simbólica, já que a 21 de julho se assinala o Dia Nacional da Bélgica, sendo este o país em destaque, com uma escolha de curtas e longas-metragens representativas do cinema de animação belga.

Entre os filmes previstos estão "Harpya", de Raoul Servais, Palma de Ouro em Cannes, em 1979, e "The bigfoot family", de Ben Stassen.

"Foi há 190 anos que em Bruxelas Joseph Plateau inventou o fenacistoscópio, o primeiro brinquedo óptico com movimento que está na génese da criação do cinema", sublinhou o diretor do Monstra, Fernando Galrito.

A competição portuguesa, para o prémio SPA/Vasco Granja, contará com 11 curtas-metragens, entre as quais o premiado "Elo", de Alexandra Ramires, "A menina parada", de Joana Toste, "Wanna be Basquiat", de João Pombeiro, e "Mesa", de João Fazenda.

Pedro Serrazina terá dois filmes em competição, com "Lote B" e "Heróis da comunidade: Muhammad Munir".

A competição internacional de longas-metragens apresenta quatro filmes europeus e um japonês.

São eles "Calamity - a infância de Martha Jane Cannary", de Rémi Chayé, "Josep", de Aurel, "O nariz ou a conspiração dos dissidentes", de Andrey Khrzhanovsky, "Wolfwalkers", de Tomm Moore e Ross Stewart, e "Aya e a feiticeira", de Goro Miyazaki.

A Monstra estender-se-á até 01 de agosto com sessões no Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, Cinemateca Júnior e no Capitólio.

Haverá cinema ao ar livre, com a exibição de filmes muito curtos no Largo de Camões e no Jardim da Estrela, numa versão "caravana de cinema dos anos 1960", explica a organização.

Todos os anos, a Monstra "exibe e torna a exibir algumas das obras marcantes" do cinema de animação japonês, que "desperta sempre muito interesse no público português".

Serão recordados, por exemplo, "A viagem de Chihiro", de Hayao Miyazaki, "Millennium Actress", de Satoshi Kon, "Memórias de ontem", de Isao Takahata, e "Final Fantasy", a partir de um dos mais populares videojogos do século XX.

No Museu da Marioneta estará uma exposição com cenários, esboços, marionetas e acessórios do filme "O crime peculiar do estranho sr. Jacinto", de Bruno Caetano, curta-metragem premiada em 2020 no Monstra.

Como a Monstra decorre já no verão, em tempo de férias escolares, a programação "Monstra vai à escola" aconteceu entre abril e este mês, contando com 67.000 inscrições, referiu o festival.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.