A Castello Lopes Cinemas anunciou esta sexta-feira à noite (13) a suspensão de atividade em todas as suas salas por causa do coronavírus.

A decisão afeta 31 salas em Sintra, Barreiro, Torres Vedras, Santarém e Guimarães, e ainda o Cinema Da Villa, em Cascais.

"Tendo em conta o surto do vírus COVID-19 e atendendo a todas as recomendações recebidas nos últimos dias, sentimos (...) que era da nossa responsabilidade social suspender temporariamente toda a atividade no cinema. Enquanto equipa, acreditamos que o cinema deve proporcionar momentos memoráveis e, dada a situação, sentimos que não estão reunidas condições para cumprirmos esta missão", salienta o comunicado.

Trata-se do primeiro grande exibidor a decidir fechar as portas.

Mesmo no final de sexta-feira, o Cinema Ideal (Lisboa) também anunciou o encerramento até dia 2 de abril, indicando em comunicado que avançava com a decisão "considerando a evolução da situação nos últimos dias" e "apesar da total indefinição por parte das autoridades públicas (da área da Cultura e que superintendem esta atividade - a IGAC, do Ministério da Cultura)".

Na terça-feira, este cinema do circuito independente tinha sido o primeiro a instaurar medidas de prevenção.

Coronavírus: cinema Trindade e Cinemateca Portuguesa suspendem sessões
Coronavírus: cinema Trindade e Cinemateca Portuguesa suspendem sessões
Ver artigo

O Cinema Trindade, no Porto (exibição comercial) e a Cinemateca Portuguesa também suspenderam todas as atividades.

Ainda no circuito independente, o Espaço Nimas (Lisboa) também informou os seus clientes, este sábado, 14 de março, que irá encerrar de 16 de março a 15 de abril, depois de ter implementado o reforço de medidas que cumprem as diretrizes de prevenção recomendadas pelas autoridades de saúde na área de limpeza e de ter limitado a ocupação da sala a 140 lugares.

A funcionar estão os Cinemas UCI (45 salas) e Cineplace (85), mas até ao momento o SAPO Mag não conseguiu obter uma resposta oficial sobre a atual situação e eventuais medidas de contingência.

Esta sexta-feira (13), fonte oficial da NOS Cinemas, o maior exibidor (219 salas, 40,9% do total de ecrãs) confirmou ao SAPO Mag que vai reduzir, a partir de sábado, a capacidade das salas em 50% ou até um máximo de 150 pessoas por sala.

Será também possível escolher o lugar, recomendando uma distância mínima social (2 metros), que também se aplica no atendimento nas bilheteiras.

Será ainda relembrada a possibilidade de adquirir antecipadamente através da sua app ou do site ingressos (lugares marcados) e produtos do bar.

Estão ainda a ser aplicadas medidas reforçadas de higienização e limpeza nas salas, pontos de contacto (quiosques de venda ou levantamento de bilhetes, portas, balcões, entre outros), que também se aplicam aos seus colaboradores, a quem também é feita a mediação regular da temperatura.

A disponibilização de produtos desinfetantes para as mãos e o reforço das limpezas periódicas das zonas de contacto manual também fazem parte das medidas anunciadas pela NLC Cinema City (46 salas), que foi o primeiro exibidor a implementar a medida da venda intercalada de lugares nos seis multiplexes que opera e eliminou as sessões da meia-noite.

Também foi imposta a organização das filas para garantir a distância de um metro entre clientes e haverá funcionários colocados exclusivamente no manuseamento e venda de produtos alimentares, na venda de bilhetes e nas formas de pagamento.

O mais recente balanço das autoridades de saúde portugueses (sexta-feira, 13) indica que existem 112 casos confirmados de infeção e nenhuma vítima.

(*) Notícia atualizada à 14h12 de 14 de março com a informação do encerramento do Espaco Nimas.

Mais informações sobre o COVID-19.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.