O mais recente filme de Quentin Tarantino, “Era Uma Vez… em Hollywood”, que chega esta semana às salas de cinema portuguesas, retrata Los Angeles no Verão de 1969, e tem recebido algumas críticas pelo retrato que faz de Bruce Lee, uma das figuras reais que surge no filme num papel secundário.

Como se vê no trailer, Bruce Lee desafia o duplo Cliff Booth (Brad Pitt) para uma luta informal durante uma pausa da rodagem da série que o tornou uma estrela, "The Green Hornet". Shannon Lee, filha de Bruce Lee, criticou, entre outras coisas, o desfecho da luta e o facto do ator dizer que seria capaz de derrotar o pugilista Muhammad Ali.

Segundo Lee, no filme, Bruce "parece um cretino arrogante que estava cheio de basófia e não alguém que teve de lutar o triplo de todas aquelas pessoas para conquistar o que era dado com naturalidade a tantos outros".

Numa conferência de imprensa de apresentação do filme em Moscovo, Quentin Tarantino respondeu a essas críticas, afirmando que “Bruce Lee era um tipo um pouco arrogante". "A forma como ele falava… eu não inventei a maioria daquilo. Eu ouvi-o dizer aquele tipo de coisas, com aquele sentido. Se as pessoas estão a dizer 'Bom, ele nunca disse que conseguia derrotar o Muhammad Ali', bom, sim, ele disse isso, sim. Não só ele disse isso, mas a mulher dele, a Linda Lee, também o disse na primeira biografia que eu alguma vez li, que foi 'Bruce Lee: The Man Only I Knew', e ela disse absolutamente isso”, explicou o realizador.

Em relação às capacidades de luta da lenda das artes marciais, que Tarantino obviamente admira, e à luta que ele tem com Cliff, a personagem interpretada por Brad Pitt, o realizador também responde à letra: “Será que Cliff podia vencer o Bruce Lee? O Brad certamente não conseguiria vencer o Bruce Lee, mas talvez o Cliff conseguisse.”

“Se me colocarem a questão: 'Quem venceria numa luta: o Bruce Lee ou o Drácula?' É a mesma pergunta . É uma personagem ficcional. Se eu disser que o Cliff pode vencer o Bruce Lee, ele é uma personagem imaginada portanto ele pode vencer o Bruce Lee", disse Tarantino.

"A realidade da situação é que o Cliff é um Boina Verde. Ele matou em combate muitos homens na Segunda Guerra Mundial. Ele é um assassino. O que o Bruce Lee diz é que ele adora guerreiros. Ele admira o combate e o boxe está mais perto do combate enquanto desporto que os torneios de artes marciais. O Cliff não faz parte de um desporto que é como combate, ele é mesmo um guerreiro. É uma pessoa de combate”, sublinhou.

"Se o Cliff estivesse a lutar com o Bruce Lee num torneio de artes marciais no Madison Square Garden, o Bruce Lee dava cabo dele. Mas se o Cliff e o Bruce Lee estivessem a lutar sem armas nas selvas das Filipinas em combate, era o Cliff que dava cabo dele”, concluiu o realizador.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.