Filmes do realizador Manoel de Oliveira vão estar em exibição no primeiro Festival de Artes e Cultura entre a China e os países de Língua Portuguesa, em Macau, que arranca no próximo mês, com sessões de cinema e artes performativas.

A primeira longa-metragem do cineasta português, "Aniki-Bóbó", e o documentário "Douro, Faina Fluvial" vão encerrar o alinhamento do festival de Cinema, que conta com um total de 24 filmes e 23 sessões de projeção, segundo o Instituto Cultural (IC).

Do lado chinês, é o filme mais recente do realizador Xin Yukun, "Wrath of Silence", a tomar as rédeas no dia inaugural.

Além disso, serão apresentados três filmes contemporâneos da China, nove filmes rodados na África do Sul e em países de língua portuguesa, nomeadamente Portugal, Brasil, Cabo Verde e Guiné Bissau, e ainda nove filmes em chinês e português, filmados em Macau.

O festival de Cinema realiza-se de 29 de junho a 13 de julho, e dá a possibilidade ao "público de ficar a conhecer o desenvolvimento mais recente do cinema sino-lusófono e histórias singulares passadas e filmadas em Macau", lê-se no comunicado do IC.

Por outro lado, o serão de espetáculos entre a China e os Países lusófonos irá contar com apresentações de música e dança de grupos de Gansu, província no noroeste da China, e também de grupos portugueses, angolanos e cabo-verdianos.

O alinhamento inclui ainda atuações de dança tradicional de países como a Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste, e performances de artistas do Brasil e de São Tomé e Príncipe.

O serão tem lugar no dia 06 de julho, no Centro Cultural de Macau.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.