Edward Herrmann morreu no último dia de 2014 aos 71 anos, vítima de tumor cerebral. Deixa uma carreira de 40 anos com dezenas de trabalhos em cinema, televisão e teatro, sempre com interpretações exemplares.

Era um daqueles atores secundários de composição que poucos conhecem pelo nome, mas tinha um daqueles rostos «é aquele tipo» que as pessoas identificavam imediatamente nos filmes.

A carreira começou ainda nos anos 70 com «A Caça ao Canudo» (73, de James Bridges), «Operação Golfinho» (73, Mike Nichols), «O Grande Gatsby» (74, Jack Clayton) e «O Grande Circo» (75, George Roy Hill), que intercalou com o teatro, tendo ganho o Tony, a distinção máxima dos palcos americanos, com «Mrs. Warren´s Profession».

Teve um raro papel como protagonista em «As Malucas da Avenida» (79, Bruce Bilson), que marcou o início do seu melhor período, com o importante papel do escritor e ativista político Max Eastman em «Reds» (81, Warren Beatty) e um resistente ao IRS em «Harry's War» (81, Kieth Merrill).

Outros papéis relevantes nessa década foram o do um dos atores do filme-dentro-do filme «A Rosa Púrpura do Cairo» (1985, Woody Allen), o marido caçador de fortunas de Goldie Hawn em «Pela Borda Fora» (87) e principalmente o do marido com segredos de Dianne Wiest no clássico «Os Rapazes da Noite» (87, Joel Schumacher).

Nos anos 90 intercalou filmes como «Riquinho» (94, Donald Petrie), onde era o pai de Macaulay Culkin, e «Nixon» (95, Oliver Stone), interpretando Nelson Rockefeller, com muita televisão, incluindo na série «Causa Justa», que lhe valeu um prémio Emmy. Emprestou também a voz para a narração de vários documentários e livros.

Em 2001, Peter Bogdanovich dá-lhe o papel do milionário W.R. Hearst em «O Miar do Gato» (01) e será ainda o marido infiel apanhado em flagrante de Catherine Zeta-Jones em «Crueldade Intolerável» (03, irmãos Coen) e um membro da comissão de censura cinematográfica em «O Aviador» (04, Martin Scorsese).

Ao mesmo tempo desempenhava na televisão o avô reservado em «Gilmore Girls» (00-07), o papel pelo qual é indiscutivelmente mais reconhecido e lhe granjeou um lugar na cultura popular quando já tinha quase 60 anos.