John Gavin faleceu na sua casa em Beverly Hills, segundo reportou o Los Angeles Times citando Brad Burton Moss, representante de Constance Towers, esposa de Gavin e também atriz. As causas da morte não foram reveladas.

O ator ganhou reconhecimento em 1958 pela sua participação no filme sobre a Segunda Guerra Mundial "Tempo para Amar e Tempo para Morrer". Depois entrou em "Psico", de Alfred Hitchcock, e interpretou Julio César em "Spartacus", em 1960.

Gavin foi sempre popular em Hollywood e, em 1971, foi eleito presidente do sindicato de atores americanos, o Screen Actors Guild.

Quando o seu amigo e também ator Ronald Reagan se tornou presidente dos Estados Unidos em 1981, escolheu Gavin - que falava espanhol e português fluentemente e tinha raízes mexicanas, espanholas e chilenas - como embaixador de Washington no México.

Os mexicanos irritaram-se com o facto de um ator ocupar o importante cargo e as críticas de Gavin à corrupção no governo do México, assim como as suas queixas pelo fluxo ilegal de drogas e migrantes aos Estados Unidos, também não o ajudaram a cair nas boas graças dos mexicanos.

Foram alguns comentários que fez após o fatal terramoto que atingiu a Cidade do México em 1985 que acabaram por complicar irremediavelmente a sua situação, fazendo-o renunciar ao posto diplomático no ano seguinte.

Depois disso, Gavin teve uma bem sucedida carreira de negócios, e chegou a ser presidente da empresa Univisa Satellite Communications.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.