Os seus cenários em "007 Contra Goldfinger"  (1964, Guy Hamilton) de Forte Knox, a base militar onde também estão guardadas as reservas de ouro dos EUA, levaram mesmo muitos a perguntarem como é que tinha sido possível uma equipa de cinema britânica obter autorização para filmar no seu interior quando nem sequer era permitida a entrada do presidente dos EUA: Ken Adam, diretor artístico que elevou o seu trabalho a uma forma de arte que se tornou reconhecida junto do grande público graças a sete filmes da saga James Bond, morreu aos 95 anos.

O seu biógrafo, Sir Christopher Frayling, recordou ao The Guardian que o premiado com Óscares pela criação dos cenários para "Barry Lyndon" (1975), de Stanley Kubrick, e "A Loucura do Rei George" (1995) "fez mais pelo design de produção do que qualquer outro graças à qualidade dos seus projetos. Eles [os profissionais do setor] são tratados como elementos secundários, mas existia o 'look' de Adam".

À BBC, Frayling recordou Adam como "um brilhante visualizador de mundos que nunca poderemos visitar – a sala de guerra por debaixo do Pentágono em 'Dr. Estranhoamor' [1964, Stanley Kubrick], o interior do Forte Knox em '007 Contra Goldfinger' –, todo o tipo de interiores que, como membros do público, nunca iremos conhecer, mas ele criou uma imagem deles que era mais real do que a realidade".

A rampa de lançamento vulcânica de "007 - Só Se Vive Duas Vezes" (1967) e os tanques de "007 - Agente Irresistível" (1977) foram outras criações marcantes, de tal forma que, confirma o especialista, "mais ou menos a meio [da colaboração] nos filmes de Bond, eles estavam de facto a construir os argumentos à volta dos seus desenhos. Ele é tanto um autor desses filmes como qualquer outro. "

"Ele pensava que a sua obra-prima foi a sala de guerra em 'Dr. Estranhoamor'  porque era sério. Era o tipo de sala onde as pessoas iam jogar poker com todas as nossas vidas. O seu verdadeiro talento era realidade com um 'twist'", concluiu.

Conta-se que o presidente Ronald Reagan ficou mortificado ao descobrir que a Casa Branca não tinha uma sala semelhante.

Entre as suas criações para mais de 70 filmes está o famoso carro voador de "Chitty Chitty Bang Bang" (1968), mas Roger Moore defendeu um dia que a sua vida foi muito mais interessante do que a maioria dos filmes para os quais criou cenários.

Nascido Klaus Adam em 1921 em Berlim, ele partiu para a Inglaterra com a sua família judia pouco depois dos nazis subirem ao poder, formou-se em Arquitetura e durante a Segunda Guerra Mundial destacou-se pelas suas façanhas ousadas como um dos três pilotos alemães da RAF: se tivesse sido capturado, provavelmente seria executado por traição em vez de ser tratado como prisioneiro de guerra.

A sala de guerra de "Dr. Estranhoamor".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.