Em fevereiro, Natalie Portman pode muito bem ganhar um segundo Óscar pela interpretação de Jackie Kennedy no filme "Jackie", mas sabe bem que isso pode fazer pouca diferença no que se refere à permanente diferença salarial entre homens e mulheres em Hollywood.

Em entrevista à edição britânica de revista Marie Claire, a estrela de 35 anos revelou pela mesma altura em que estava a ganhar o Óscar por Cisne Negro, em fevereiro de 2011, estreava nos cinemas uma comédia romântica em que tinha sido paga menos do que o seu parceiro.

“Ashton Kutcher foi pago três vezes mais do que eu em "Sexo Sem Compromisso", atribuindo a disparidade ao valor projetado no mercado do colega, a chamada "quota".

"Eu sabia e alinhei porque existe esta coisa com as "quotas" em Hollywood. A dele era três vezes maior do que a minha, portanto eles disserem que devia ganhar três vezes mais. Não fiquei tão chateada quanto devia. Somos muito bem pagos, portanto é difícil queixarmo-nos, mas a disparidade é uma loucura", acrescentou.

A atriz concluiu a revelação reforçando a questão da diferença salarial no mundo do cinema: "Comparados com os homens, as mulheres ganham 80 cêntimos para o dólar na maioria das profissões. Em Hollywood, fazemos 30 cêntimos para o dólar."

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.