«Guerra das Estrelas»,
«Parque Jurássico» ou a trilogia
«Piratas das Caraíbas» são alguns dos pontos altos da
Industrial Light & Magic (ILM), a empresa de efeitos visuais criada por George Lucas, que foi objecto de um documentário realizado por
Leslie Iwerks e apresentado no Festival Internacional de Animação de Annecy.

«Industrial Light & Magic: Creating the Impossible» é narrado por
Tom Cruise e, embora passe em revista toda a história da companhia, traça com mais detalhe a evolução dos efeitos digitais no interior da ILM e do mundo do cinema, o que justifica a sua exibição num certame essencialmente dedicado à animação.

A ILM foi criada por George Lucas em 1975 para realizar efeitos visuais com um realismo e uma escala até então inéditos no cinema, para aplicar no seu novo filme
«A Guerra das Estrelas», que estrearia dois anos depois. John Dykstra, Ken Ralston, Richard Edlund,
Joe Johnston ou Phil Tippett fizeram parte dessa equipa inicial que concretizou a película fundadora da série «Star Wars», cujo sucesso planetário levou não só a um volume de trabalho ainda maior para a sequela,
«O Império Contra-Ataca» (1980), como também ao estabelecimento da ILM como uma empresa que criava efeitos especiais por encomenda para filmes de vários estúdios.

Foi na ILM que se criou a Pixar, responsável pelas primeiras animações informáticas em filmes de longa-metragem com verdadeiro impacto, como o renascimento da vida vegetal num planeta em
«Star Trek: A Ira de Khan» (1982) e o vitral com vida de
«O Enigma da Pirâmide» (1985), animado por um jovem
John Lasseter.

Os efeitos históricos de
«O Abismo» (1989) e
«O Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento» (1991) foram os passos seguintes de uma revolução que culminaria com
«Parque Jurássico» (1992), o filme a lançar a sério a animação digital nos efeitos visuais, com o absoluto fotorealismo dos dinossauros a provar que doravante nada seria impossível de visualizar. Com
«Forrest Gump» (1994) logo seguir, a ILM colocou os computadores ao serviço extensivo de efeitos para a criação de imagens do dia a dia, como multiplicação de pessoas ou a integração de bolas de pingue pongue nos movimentos com raquetas que
Tom Hanks simulava.

Os filmes da saga
«Homem de Ferro» e da trilogia
«Piratas das Caraíbas» são os último a serem focados no documentário, que foi terminado precisamente quando a ILM estreava a sua primeira longa-metragem integralmente feita por computador,
«Rango».

Além de George Lucas e dos profissionais da ILM, o documentário apresenta também depoimentos de figuras como
Steven Spielberg,
Samuel L. Jackson,
Ron Howard,
John Lasseter ou
Robin Williams.

Leslie Iwerks é neta Ub Iwerks, co-criador de Mickey Mouse com Walt Disney e que se tornaria um dos maiores inovadores na área dos efeitos visuais do cinema, e já realizou os documentários
«The Hand Behind the Mouse: The Ub Iwerks Story» (1999) e
«The Pixar Story» (2007).

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.