Sharon Stone tornou-se a sua própria "agente": a atriz despediu as pessoas à sua volta que lhe diziam o que achavam que era melhor para a carreira.

A atriz de filmes como "Instinto Fatal" e "Casino", com a foi nomeada para os Óscares, escreveu sobre a sua vida num novo livro, "The Beauty of Living Twice".

A revelação sobre a nova abordagem da carreira surgiu quando o jornal The New York Times lhe perguntou se ia afastar-se da interpretação para se dedicar mais à escrita.

"Na verdade, despedi os meus agentes, gestores e todas essas pessoas. Agora só quero ser mesmo contratada por realizadores que me escolham. Não quero que me lancem [para os projetos]. Não quero ser dada às pessoas porque posso financiar os seus filmes. Não quero ser vendida. Não quero que outras pessoas decidam que material é que devo ou não ver. Portanto, só estou a receber propostas diretamente", comentou.

A atriz diz que Hollywood não terá problemas em encontrá-la: "A maioria das pessoas sabe como consegue chegar a mim. Podem enviar as coisas aos meus relações-públicas, que as reencaminham para mim. Claro, estou no Instagram."

"Libertei-me das pessoas que me dizem todas as razões porque não posso trabalhar. Acho que 40 anos de muito alta, muito baixa, muito gorda, muito magra, muito loira, muito morena, muito jovem, muito velha. Muito isto, muito aquilo. Deixei de estar interessada em toda essa faceta do 'porque é que não me respondem'. Portanto, se um realizador especificamente me quiser, eles serão capazes de me encontrar", concluiu.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.