É o primeiro grande boicote de Hollywood após ter sido promulgada uma controversa lei que restringe o voto: Will Smith e o realizador Antoine Fuqua não vai rodar a grande produção "Emancipation" [Emancipação] na Geórgia por causa de uma controversa lei que restringe o voto naquele Estado americano.

A Geórgia tornou-se um importante centro de produção para a indústria cinematográfica e televisiva americana nos últimos anos, mas a medida adotada pelos produtores de "Emancipation" segue as crescentes críticas públicas e boicotes de empresas, organizações desportivas e de entretenimento.

Aprovada no final de março, a lei impõe a existência de requerimentos para identificação de eleitores, dá maior poder às autoridades locais no controlo do processo eleitoral e também criminaliza, por exemplo, tentar oferecer comida e água aos eleitores que aguardam nas filas para votar. Reduz ainda o âmbito e tempo do voto por correspondência, e reduz as urnas onde podem ser depositados.

As alterações têm sido interpretadas como visando diminuir a participação eleitoral de minorias étnicas, em especial da comunidade afro-americana, após uma vitória no Estado, que historicamente pende para o partido republicano, do presidente Joe Biden nas últimas eleições presidenciais e de dois democratas em duas eleições à segunda volta para lugares no Senado.

“Neste momento, a Nação está a confrontar-se com a sua história e a tentar eliminar vestígios de racismo institucional para alcançar a verdadeira justiça racial. Não podemos, em consciência, fornecer apoio económico a um governo que promulga leis eleitorais regressivas destinadas a restringir o voto eleitoral. As novas leis de votação da Geórgia são uma reminiscência de entraves eleitorais que foram aprovados no final da Reconstrução [o período após o fim da Guerra Civil Americana em 1865, que se estendeu até 1877] para impedir que muitos americanos votassem. Lamentavelmente, sentimo-nos obrigados a transferir o trabalho da produção do nosso filme da Geórgia para outro estado", avançaram Will Smith e Antoine Fuqua num comunicado conjunto sobre a grande produção da Apple.

Nos últimos anos, a Geórgia tornou-se um dos grandes centros de produção de filmes e séries nos EUA por causa dos seus generosos incentivos fiscais.

Com rodagem prevista para arrancar a 21 de junho, "Emancipation" deverá transferir-se para o Estado do Louisiana, onde se passa a história verídica, o que deverá ter um custo adicional de 15 milhões de dólares por perder esses incentivos.

A história é inspirada por acontecimentos verídicos à volta de Peter, um escravo que fuga que teve de se mostrar mais inteligente para vencer caçadores de recompensas sanguinários e os implacáveis pântanos do estado do Louisiana para chegar ao norte dos EUA e ao Exército da União.

Peter ficou famoso após posar para uma fotografia que expunha as cicatrizes das suas costas, provocadas por um castigo com chicote que quase o matou.

A imagem, que ficou conhecida como "Scoured Back", foi publicada pela imprensa dos dois lados do oceano, galvanizando a causa do abolicionismo pelo mundo [a causa política para abolir a escravatura] e provocando um aumento de alistamentos de negros no exército da União.

Também países como a França deixaram de comprar algodão aos estados do sul dos EUA.

Apesar deste contexto histórico, Antoine Fuqua descreveu "Emancipation" como um "thriller de ação" que se foca na fuga de Peter, mais no género de relatos de sobrevivência em circunstâncias extremas como "Apocalypto", realizado por Mel Gibson em 2006.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.