Segundo o documento, publicado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a queda na venda de bilhetes reflete “o desempenho do mercado como um todo, que decresceu em 17,0%, devido ao menor número de êxitos de bilheteira durante o trimestre e à comparação desafiante com um segundo trimestre de 2017 excecionalmente forte”.

A NOS acrescenta que, depois de um “ano de 2017 com um desempenho excecionalmente forte”, o primeiro semestre de 2018 apresentou “níveis semelhantes aos de 2016”.

Já a receita média por bilhete subiu 3,4%, face ao mesmo semestre de 2017, para 4,9 euros.

Ainda no relatório e contas a NOS indica que “continua a manter a sua posição de liderança do mercado, com uma quota de 61,9% em termos de receitas brutas” e que foi a distribuidora, no primeiro semestre do ano, de seis dos dez filmes mais vistos.

Segundo dados do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), no primeiro semestre deste ano, a rede de cinemas em Portugal perdeu 17% de espetadores (menos 1,3 milhões de espetadores) e 13,9% de receitas de bilheteira (menos 5,7 milhões de euros).

Assim, entre janeiro e junho, foram às salas de cinema 6,5 milhões de espetadores que renderam 35,6 milhões de euros de receita bruta de bilheteira.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.