O músico, cujo pai faleceu na mesma altura, disse que sentiu “não querer viver”.

“Lembro-me de olhar para mim e ver-me completamente doente. Estava ferido e partido em peças. Entrei numa depressão séria. Fui consumido por sentimentos de perda. Estar numa banda em digressão coloca os teus amigos e família em segundo plano e apenas te focas numa coisa – a banda. Quando isso acaba, estás numa espécie de limbo.” afirmou May ao Jornal Daily Mail.

O guitarrista adicionou ainda:

“A banda terminou, por isso existia um terrível sentimento de perda – a banda era a minha família. Perdi oFreddie e o meu pai quase ao mesmo tempo. Não queria viver. Perdi-me completamente. “

Freddie Mercury, considerado por muitos, um dos melhores vocalistas de todos os tempos, morreu de uma broncopneumonia resultante de ter sido contagiado com SIDA a 24 de Novembro de 1991.

Paulo Costa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.