O presidente do Grupo Académico de Danças Ribatejanas, Ludgero Mendes, disse à agência Lusa que a falta de apoios está a comprometer a realização de “um dos mais prestigiados” festivais internacionais de folclore que se realiza no país.

A edição deste ano conta com a participação de cinco grupos estrangeiros, provenientes da Argentina, do Peru, da Indonésia, da Estónia e de Espanha, e cinco portugueses, dois do Ribatejo, um da Alta Estremadura, um da Beira Litoral e um do Alto Minho.

O evento está orçado em cerca de 35 mil euros, já que a organização suporta o alojamento dos participantes estrangeiros, que ficam nas residências do Instituto Politécnico de Santarém e da Estação Zootécnica Nacional.

Suporta ainda os custos da alimentação de todos os elementos, os transportes em território nacional (além de um apoio aos grupos que vêm de mais longe), aluguer da sala de espetáculos e um valor diário aos participantes imposto internacionalmente.

Ludgero Mendes disse à Lusa que, desde 2011, a Câmara Municipal de Santarém deixou de dar apoio financeiro, não tendo ainda pago os valores atribuídos em 2009 e 2010 (da ordem dos 25.000 euros).

“O festival está em risco porque as despesas são crescentes e sem o apoio da câmara municipal e com as empresas em retração a cortarem nos patrocínios fica muito complicado”, afirmou.

Durante o festival, o Grupo Académico de Danças Ribatejanas vai apresentar o projeto de criação da Liga dos Amigos do Festival Internacional Celestino Graça, o qual propõe o pagamento de uma verba mínima de 20 euros/ano por amigo.

“Se conseguirmos arranjar mil amigos, poderemos ter garantida a sobrevivência do festival”, disse Ludgero Mendes.

O festival inicia-se na quinta-feira de manhã com ateliês de dança a decorrerem nas ruas da cidade, seguindo-se um colóquio sobre os países participantes. Para a noite está agendada a antestreia com um espetáculo no Jardim da Liberdade.

O festival inclui três espetáculos (sexta, sábado e domingo) no auditório do Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), estando a cerimónia oficial de abertura marcada para as 17:30 de sexta-feira, 7 de setembro, junto ao busto de Celestino Graça.

Paralelamente está prevista uma visita ao lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Santarém e animação em restaurantes da cidade.

O Grupo Académico de Danças Ribatejanas, fundado em 1956 pelo etnógrafo Celestino Graça, foi cofundador, em 1970, do Comité Internacional de Organizadores de Festivais de Folclore e Artes Tradicionais, com sede em França e que é organismo consultivo da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

@SAPO/Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.