No total estão previstas pouco mais de quarenta actuações em três palcos entre quinta-feira e sábado, mas são as suficientes para fazerem esgotar os passes de três dias.

Também já não há bilhetes para sexta-feira e, de acordo com a organização, os dois restantes dias estão perto de esgotar, sendo que a capacidade do recinto é para cerca de 30.000 pessoas.

Este ano, a organização promete melhorias nos acessos e no recinto, para evitar o que aconteceu no ano passado, quando o festival se mudou para aquele recinto perto da praia do Meco e registou longas filas de trânsito no dia em que actuou Prince.

A organização reforçou a área de campismo, que quadruplicou para um total de cinco hectares.

Outra das críticas apontadas em 2010 referia-se ao estacionamento, pelo que este ano está prometida uma área para cerca de 8.000 veículos. Haverá ainda reforço de transportes públicos.

Segundo a promotora Música no Coração, a partir do momento em que os parques de estacionamento estejam preenchidos, a estrada de acesso ao festival vai ser cortada ao trânsito e o estacionamento só poderá ser feito na rotunda no Marco do Grilo.

Um dos principais atractivos deste festival chama-se Arcade Fire, a banda canadiana que está em "dívida" com o público português, depois de ter sido obrigada a cancelar um concerto em Novembro, em Lisboa, por causa da cimeira da NATO.

O concerto dos Arcade Fire está marcado precisamente para sexta-feira - o dia que está esgotado -, fechando a noite depois dos Portishead.

A banda art rock de Win Butler e Régine Chassagne, que actuou antes no SBSR em 2007, deverá apresentar sobretudo o álbum "The Suburbs", que tinha previsto mostrar em Portugal em 2010.

Na quinta-feira, os cabeças-de-cartaz são os britânicos Arctic Monkeys, que editaram recentemente o álbum "Suck it and See". A eles juntam-se ainda Beirut, com novo álbum aprazado para Agosto, The Walkmen, Lykke Li e, às 04:00, James Murphy, o homem dos agora extintos LCD Soudsystem.

Na sexta-feira, além dos Arcade Fire e dos Portishead, dois nomes que gozam de forte popularidade em Portugal, estão previstos também os Chromeo e os portugueses Rodrigo Leão & Cinema Ensemble, Legendary Tigerman ou B. Fachada.

No sábado, o destaque vai para o regresso a Portugal dos Strokes, que fecham o palco maior do festival, depois do guitarrista Slash, da estreia em Portugal dos Elbow assim como de Brandon Flowers, vocalista dos Killers, e dos Vaccines.

A 17ª edição do festival Super Bock Super Rock decorrerá na Herdade do Cabeço da Flauta, um recinto de piso arenoso e povoado de pinheiros mansos, onde a organização espera manter o evento nos próximos anos.

@Lusa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.