O holograma do "rei da pop" - com um físico mais parecido ao da época do álbum "Bad" do que ao dos últimos anos de vida - interpretou "Slave to the Rythm", uma das oito canções do álbum "Xscape", lançado na semana passada.

A coreografia, que teve a participação de vários dançarinos, retomou os movimentos característicos do cantor, especialmente o famoso 'moonwalk'.

A "atuação" de Michael Jackson, mantida em sigilo até o último momento, precisou de um ano de trabalho e teve a colaboração de 104 artistas e técnicos, segundo a organização do evento.

O holograma fez a sua apresentação a pouco mais de um mês do quinto aniversário da morte do artista, que morreu a 25 de junho de 2009, aos 50 anos, vítima de uma overdose de medicamentos.

Na cerimónia, os Billboard Music Awards consagraram Justin Timberlake, que venceu em sete categorias. O cantor e ator e 33 anos recebeu os prémios de Artista do Ano, Artista Masculino, Artista Top Billboard 200, Artista de Rádio, Artista de R&B, Álbum Top Billboard 200 e Álbum R&B por "The 20/20 Experience".

Os outros grandes vencedores da noite foram os Imagine Dragons (cinco estatuetas, incluindo Artista de Rock e Álbum de Rock), Pharrell Williams, Robin Thicke e o rapper T.I. (com quatro prémios cada).

Assim como os Grammys, a cerimónia dos Billboard Music Awards - criados em 1989 pela revista de mesmo nome - teve muitas atuações ao vivo. Jennifer López, Pitbull e Claudia Leitte subiram ao palco para interpretar "We Are One (Ole Ola)", a canção oficial da Copa do Mundo do Brasil. Shakira, Ricky Martin, Jason Derulo, John Legend, Robin Thicke, OneRepublic, Katy Perry, Miley Cyrus e Lorde também atuaram durante a noite.

@AFP

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.