Uma jovem loira chorava enquanto a sua amiga desenhava um coração com o seu baton no grande mural que exibe o rosto do cantor, que agora está coberto com plástico para protegê-lo.

Era hora do almoço e várias pessoas tinham-se reunido no lugar transformado em centro de culto há um ano, altura em que atraiu espontaneamente muitos admiradores consternados pela morte inesperada.

Desde o início da manhã, transeuntes, fãs e turistas, em alguns casos com o rosto maquilhado como Ziggy Stardust - o personagem criado por Bowie -, acenderam velas, colocaram flores e cartões de aniversário para o cantor, falecido a 10 de janeiro de 2016 devido a um cancro que manteve em segredo.

"RIP David, meu herói"

"Devo-te tudo", "Nunca esquecido", "Feliz aniversário, David", "RIP David, meu herói, meu ídolo", afirmavam algumas das mensagens, por vezes acompanhadas de um desenho.

Roger Rowley, músico e ator, e a sua companheira Rachael Gilliband, historiadora, acordaram às 04h30 para apanhar um autocarro em Leeds, no norte da Inglaterra, até à capital. "Não teríamos perdido isto por nada, os tributos são maravilhosos", disse Roger, acrescentando que Bowie o acompanhará "sempre".

"Ouvi 'Blackstar', o seu último disco, quatro vezes, e chorei sempre. Bowie revolucionou a música, ninguém me inspirou mais que ele. É eterno", apontou.

"É fabuloso, desafiou todas as normas", completou Gilliband.

Victoria Wiet, estudante de doutorado americana de 26 anos, escuta incessantemente as músicas de Bowie há um ano. "Vim ao Reino Unido para uma conferência sobre David Bowie e pude assistir a este momento de devoção coletiva", contou.

"Sou uma grande admiradora desde que tinha 13 anos, e quando soube da sua morte, pelo Facebook, fiquei completamente comovida", acrescentou.

Mini-álbum póstumo

O aniversário da morte de Bowie será recordado com atos em todo o mundo, principalmente no Reino Unido e Nova Iorque. Já no domingo, milhares de pessoas compareceram a um concerto em homenagem ao cantor em Brixton.

A sua editora Columbia, publicou um EP póstumo com quatro canções, três delas inéditas, para recordar que Bowie completaria 70 anos no domingo.

O mini-álbum inclui a faixa "Lazarus" - que já apareceu em "Blackstar" -, e três canções que escreveu para o musical homónimo que está a ser interpretado num teatro de Londres: "No Plan", "Killing a Little Time" e "When I Met You".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.