Beyoncé partiu na frente da corrida com nove nomeações, mas não conseguiu conquistar os principais galardões da noite. Apesar de não ter vencido nas categorias mais cobiçadas da noite, a norte-americana bateu um recorde histórico: ao receber o prémio de Melhor Atuação R&B, por "Black Parade",  e de Melhor Atuação Rap ("Savage", com Megan Thee Stallion) a cantora tornou-se na artista mais premiada de sempre nos Grammys Awards.

Ao longo da sua carreira, no total, a artista já venceu 28 prémios da Recording Academy. Para além dos galardões conquistados, com as suas 79 nomeações no total, Beyoncé é a artista feminina mais nomeada da história dos Grammys - a cantora está empatada com Paul McCartney e tem apenas uma nomeação a menos do que o seu marido, Jay-Z, e Quincy Jones, que detêm o recorde, com 80 cada.

Taylor Swift

Mas Beyoncé não foi a única a fazer história na madrugada deste domingo para segunda-feira, de 14 para 15 de março. Na cerimónia, Taylor Swift conquistou o troféu de Melhor Álbum, com "Folklore", tornando-se na primeira mulher a vencer na categoria três vezes.

A norte-americana já tinha sido distinguida com o Grammy de Melhor Álbum com "Fearless", de  2010, e "1989", editado em 2016.  Até este ano, os únicos vencedores na categoria eram Frank Sinatra, Paul Simon e Stevie Wonder.

Billie Eilish, jovem artista que estava entre as mais nomeadas, também foi uma das vencedoras ao levar para casa o Grammy de Gravação do Ano, o prémio mais importante da noite. Beyoncé, Black Pumas, DaBaby & Roddy Ricch, Doja Cat, Dua Lipa, Post Malone e Megan Thee Stallion & Beyoncé também estavam na corrida.

A jovem cantora conquistou ainda o prémio de Melhor Música para um Meio Visual pelo tema que criou para o filme "007: Sem Tempo Para Morrer". Segundo a Variety, esta foi a primeira vez na história dos Grammys que uma canção de um filme que ainda não estreou venceu na categoria.

Já o Grammy de Canção do Ano, uma das categorias mais cobiçadas, foi entregue a H.E.R., pela canção "I Can't Breathe" - o título do tema faz referência às últimas palavras de George Floyd. "Queria agradecer a Deus por me dar este dom de utilizar a minha voz para provocar transformações", frisou a artista ao receber o galardão.

Com "Future Nostalgia", Dua Lipa levou para casa o galardão de Melhor Álbum Pop Vocal. Os ábuns "Changes", de Justin Bieber, "Chromatica", de Lady Gaga, "Fine Line", de Harry Styles, e "Folklore", de Taylor Swift, também estavam na corrida ao prémio.

Megan Thee Stallion também foi uma das grandes estrelas da noite. A jovem artista venceu o Grammy de Melhor Novo Artista -  Ingrid Andress, Phoebe Bridgers, Chika, Noah Cyrus, D Smoke, Doja Cat e Kaytranada também estavam na corrida.

Ainda antes do arranque da cerimónia,  Lady Gaga e Ariana Grande conquistaram o galardão de Melhor Atuação Pop em Duo ou Grupo por "Rain On Me. Nas redes sociais, as artistas celebram a vitória.

Já Harry Styles, que teve a missão de abrir a cerimónia, conquistou o seu primeiro Grammy ao vencer na categoria de Melhor Atuação Pop a Solo.  “Yummy”, de Justin Bieber, “Say So”, de Doja Cat, “Everything I Wanted”, de Billie Eilish,  “Don’t Start Now”, de Dua Lipa, e “Cardigan”, de Taylor Swift, também estavam na corrida ao troféu.

Pouco menos de um mês depois do fim da sua caótica candidatura presidencial, Kanye West conquistou mais um Grammy, mas numa categoria longe do rap - o artista venceu o galardão de Melhor Álbum de Música Cristã Contemporânea em reconhecimento à sua ode evangélica "Jesus Is King".

Já o Grammy de Melhor Álbum de Spoken Word, que teve Michelle e Barack Obama entre os vencedores na passada edição, este ano foi entregue a "Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth", de Rachel Maddow.

A cantora Maria Mendes também estava na corrida ao Grammy de Melhores Arranjos, Instrumentais e Vocais, com o tema "Asas Fechadas", de Amália Rodrigues, que gravou no álbum "Close to me", com John Beasley e a Metropole Orkest da Holanda, lançado em outubro de 2019. A portuguesa não conseguiu conquistar o galardão, que foi entregue a Jacob Collier (com Rapsody), por "He Won't Hold You".

Já a banda sonora de  "Festival Eurovisão da Canção: A História dos Fire Saga", que conta com o tema "Amar Pelos Dois", da Salvador Sobral, estava na corrida ao Grammy de Melhor Banda Sonora para um Meio Visual nos Grammys Awards, tendo perdido o galardão para  "Jojo Rabbit" - Taika Waititi foi a responsável pela banda sonora do filme.

Conheça aqui todos os vencedores.

De Harry Styles a Taylor Swift: as atuações

Depois de a cerimónia ter sido adiada devido à pandemia de COVID-19, os Grammys, os principais prémios da indústria musical, foram entregues na madrugada deste domingo para segunda-feira, de 14 para 15 de março. A 63.ª edição decorreu principalmente no exterior do Los Angeles Convention Center - apenas as atuações (em direto ou gravadas) decorreram em salas fechadas e sem a presença do público.

Harry Styles

Apresentada por Trevor Noah, a gala contou com a participação de funcionários e gerentes de salas de espetáculos - os convidados anunciaram os vencedores a partir de salas de concertos, como o Apollo Theater, Troubador, Hotel Café  ou a Station Inn, em Nashville.

Cardi B, Taylor Swift, Billie Eilish, HAIM, Megan Thee Stallion, Harry Styles, Bad Bunny, DaBaby, Dua Lipa e Post Malone foram alguns do protagonistas da cerimónia dos Grammys. Black Pumas, BTS, Brandi Carlile, Doja Cat, Mickey Guyton, Brittany Howard, Miranda Lambert, Lil Baby, Chris Martin, John Mayer, Maren Morris e Roddy Ricch também atuaram.

O músico Harry Styles teve a missão de abrir a gala. Em palco, o artista britânico interpretou "Watermelon Sugar".

Depois de Harry Styles, foi a vez de Billie Eilish apresentar uma atuação intimista ao som do hit "everything i wanted".

Já as HAIM foram foram as terceiras a subir ao palco dos Grammys. As irmãs Este, Alana e Danielle apresentaram "The Steps".

Depois das HAIM foi a vez de DaBaby e Roddy Ricch se juntarem para “Rockstar”, canção viral do TikTok. Os dois artistas escolheram fatos brancos e apostaram numa atuação repleta de elegância.

"Baby, a ti no me opongo": depois de DaBaby e Roddy Ricch, Bad Bunny e Jhay Cortez animaram a cerimónia com o sucesso "Dákiti".

Ainda na primeira hora da cerimónia, Dua Lipa carimbou uma das atuações mais celebradas da noite. Rodeada por um cenário repleto de escadas e luzes, a jovem artista apresentou os singles "Levitanting" - que contou com a participação de DaBaby - e "Don’t Start Now".

Bruno Mars e Anderson .Paak também se juntaram no palco dos Grammys para a primeira atuação da banda Silk Sonic. Com coreografias sincronizadas, a dupla apresentou o seu primeiro single, "Leave The Door Open".

Depois de Bruno Mars e Anderson .Paak, foi a vez de Taylor Swift. Para a cerimónia, a cantora preparou um medley com “Cardigan”, “August” e “Willow” e brindou os espectadores com uma das atuações mais marcantes da noite.

Tal como é tradição, a Academia homenageou artistas e profissionais da indústria musical que morreram no último ano.  Bruno Mars,  Anderson .Paak, Lionel Richie, Brandi Carlile, Brittany Howard e Chris Martin foram os artistas que participaram na atuação especial.

Cardi B também brilhou no palco da cerimónia com uma atuação frenética. Na atuação, a artista fez um mashup dos temas "Up" e "WAP", levando ainda o funk brasileiro aos Grammys com um versão do artista Pedro Sampaio.

Post Malone também não faltou à festa e animou os espectadores com "Hollywood’s Bleeding".

Vencedora do Grammy de Melhor Novo Artista, Megan Thee Stallion levou ao palco da cerimónia os temas “Body” e “Savage”.

Já Doja Cat apostou numa atuação futurista para apresentar "Say So", sucesso viral de 2020.

Os BTS também carimbaram uma das atuações da noite ao som de "Dynamite".

VENCEDORES:

Melhor Novo Artista

Ingrid Andress
Phoebe Bridgers
Chika
Noah Cyrus
D Smoke
Doja Cat
Kaytranada
Megan Thee Stallion - VENCEDORA

Canção do Ano

"Black Parade" — Denisia Andrews, Beyoncé, Stephen Bray, Shawn Carter, Brittany Coney, Derek James Dixie, Akil King, Kim "Kaydence" Krysiuk & Rickie "Caso" Tice (Beyoncé)
"The Box" — Samuel Gloade & Rodrick Moore
"Cardigan" — Aaron Dessner & Taylor Swift
"Circles" — Louis Bell, Adam Feeney, Kaan Gunesberk, Austin Post & Billy Walsh (Post Malone)
"Don't Start Now" — Caroline Ailin, Ian Kirkpatrick, Dua Lipa & Emily Warren
"I Can't Breathe" — Dernst Emile II, H.E.R. & Tiara Thomas - VENCEDORA
"If The World Was Ending" — Julia Michaels & JP Saxe

Gravação do Ano

"Black Parade" — Beyoncé
"Colors" — Black Pumas
"Rockstar" — DaBaby Featuring Roddy Ricch
"Say So" — Doja Cat
"Everything I Wanted" — Billie Eilish - VENCEDORA
"Don't Start Now" — Dua Lipa
"Circles" — Post Malone
"Savage" — Megan Thee Stallion Featuring Beyoncé

Álbum do Ano

Chilombo — Jhené Aiko
Black Pumas (Deluxe Edition) — Black Pumas
Everyday Life — Coldplay
Djesse Vol. 3 — Jacob Collier
Women In Music Pt. III — Haim
Future Nostalgia — Dua Lipa
Hollywood's Bleeding — Post Malone
Folklore — Taylor Swift - VENCEDORA

Melhor Álbum Pop Vocal

Changes — Justin Bieber
Chromatica — Lady Gaga
Future Nostalgia — Dua Lipa - VENCEDORA
Fine Line — Harry Styles
Folklore  — Taylor Swift

Melhor Atuação Pop a Solo

“Yummy” – Justin Bieber“Say So” – Doja Cat
“Everything I Wanted” – Billie Eilish
“Don’t Start Now” – Dua Lipa
“Watermelon Sugar” – Harry Styles - VENCEDOR
“Cardigan” – Taylor Swift

Melhor Atuação Pop em Duo ou Grupo

"Un Dia (One Day)" — J Balvin, Dua Lipa, Bad Bunny & Tainy
"Intentions" — Justin Bieber Featuring Quavo
"Dynamite" — BTS
"Rain On Me" — Lady Gaga with Ariana Grande - VENCEDORAS
"Exile" — Taylor Swift Featuring Bon Iver

Melhor Álbum Rap

Black Habits — D Smoke
Alfredo — Freddie Gibbs & The Alchemist
A Written Testimony — Jay Electronica
King’s Disease — Nas - VENCEDOR
The Allegory — Royce Da 5’9”

Melhor Atuação Rap

"Deep Reverence" — Big Sean Featuring Nipsey Hussle
"Bop" — DaBaby
"What's Poppin" — Jack Harlow
"The Bigger Picture" — Lil Baby
"Savage" — Megan Thee Stallion Featuring Beyoncé - VENCEDORAS 
"Dior" — Pop Smoke

Melhor Álbum de Música Eletrónica / Dance

Kick I — Arca
Planet's Mad — Baauer
Energy — Disclosure
Bubba — Kaytranada - VENCEDORA
Good Faith — Madeon

Melhor Álbum R&B

Happy 2 Be Here — Ant Clemons
Take Time — Giveon
To Feel Love/d — Luke James
Bigger Love — John Legend - VENCEDOR
All Rise — Gregory Porter

Melhor Atuação R&B

“Lightning & Thunder” — Jhene Aiko feat. John Legend
Black Parade” — Beyoncé - VENCEDORA
“All I Need” — Jacob Collier feat. Mahalia & Ty Dolla $ign
“Goat Head” — Brittany Howard
“See Me” — Emily King

Melhor Álbum de Rock

A Hero’s Death — Fontaines D.C.
Kiwanuka — Michael Kiwanuka
Daylight — Grace Potter
Sound & Fury — Sturgill Simpson
The New Abnormal — The Strokes - VENCEDORES

Melhor Atuação Rock

"Shameika" — Fiona Apple - VENCEDORA
"Not" — Big Thief
"Kyoto" — Phoebe Bridgers
"The Steps" — HAIM
"Stay High" — Brittany Howard
"Daylight" — Grace Potter

Melhor Álbum de Música Alternativa

Fetch the Bolt Cutters — Fiona Apple - VENCEDORA
Hyperspace — Beck
Punisher — Phoebe Bridgers
Jaime — Brittany Howard
The Slow Rush — Tame Impala

Melhor Álbum Latino Pop/ Urbano

YHLQMDLG — Bad Bunny - VENCEDOR
Por Primera Vez — Camilo
Mesa Para Dos — Kany García
Pausa — Ricky Martin
3:33 — Debi Nova

Melhor Filme de Música

Beastie Boys Story — Beastie Boys
Black Is King — Beyoncé
We Are Freestyle Love Supreme — Freestyle Love Supreme
Linda Ronstadt: The Sound Of My Voice — Linda Ronstadt - VENCEDOR
That Little Ol' Band From Texas — ZZ Top

Produtor do Ano (não clássico)

Jack Antonoff
Dan Auerbach
Dave Cobb
Flying Lotus
Andrew Watt - VENCEDOR

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.