Ao segundo dia de ensaios intensos, os cerca de 20 jovens músicos da Big Band Junior (BBJ) ensaiavam quase sem descanso, na escola do Hot Clube, o repertório musical de Bernardo Sassetti que vão apresentar no domingo à tarde, no São Luiz Teatro Municipal.

Os ensaios decorrem entre as 10:00 e as 18:00 e os alunos, cansados, mas visivelmente satisfeitos, colocam todo o seu empenho no projeto e na preparação deste espetáculo, que tem como principal objetivo, mais do que homenagear, dar a conhecer às camadas mais jovens – tanto aos alunos como ao público – o compositor e pianista Bernardo Sassetti, que morreu em 2012.

“As gerações mais jovens já não têm oportunidade de o ouvir”, disse à Lusa João Godinho, que, juntamente com Alexandra Ávila Trindade, faz parte da direção artística da BBJ.

“Já há muito tempo que queríamos trabalhar com o repertório de um compositor português. Escolhemos o Bernardo Sassetti por uma questão, também, de afinidade pessoal. Foi o nosso primeiro músico convidado, mas não estava disponível na altura, por motivos de agenda. Foi uma ponta que ficou pendurada. Concretiza-se agora a nossa vontade”, explicou Alexandra Ávila Trindade.

O repertório é constituído essencialmente por temas de Bernardo Sassetti arranjados para ‘big band’ por músicos portugueses, complementado por composições ou arranjos de outros músicos portugueses, um aspeto sobre o qual João Godinho falou, confessando surpresa pela quantidade de composições do pianista que encontrou já com arranjos feitos por outros músicos.

A Orquestra-Escola tem vindo, de resto, a organizar os concertos dos últimos anos com um “peso cada vez maior de repertório português”, o que é um “desafio”, porque os jovens músicos de jazz normalmente “querem tocar os 'standards'”, como Duke Ellington, por exemplo.

No entanto, “estão muito animados, mas também sabem que somos desestabilizadores, e deste projeto espera-se também tirá-los da zona de conforto e que experimentem outras coisas”, afirmou a diretora artística.

A boa surpresa foi verificarem que os alunos chegaram aos ensaios já com preparação, porque estudaram em casa o material que receberam antes.

“Isto permite começarmos logo a trabalhar os pormenores. Já estamos na parte da interpretação e é o que se espera, porque sete dias é pouco tempo para preparar um espetáculo destes”, considerou Alexandra Ávila.

A BBJ tem a particularidade de incluir músicos de instrumentos que habitualmente não estão associados ao jazz, como é o caso do oboé, do acordeão ou do violino.

O concerto “Big Band Júnior abraça Sassetti” acontece no domingo, às 17:30, na sala Luís Miguel Cintra, do Teatro S. Luiz.

Com direção musical e pedagógica de Claus Nymark, e coapresentação de Orelha Viva – Associação Cultural, Hot Clube de Portugal, Casa Bernardo Sassetti e São Luiz Teatro Municipal, o concerto tem como convidados os músicos Filipe Raposo, Inês Laginha e Rita Maria.

A BBJ é uma orquestra-escola de jazz constituída por cerca de vinte músicos, entre os 12 e os 19 anos de idade, e tem por missão estimular o gosto pelo jazz entre os mais novos, proporcionando uma formação aos seus alunos enquanto músicos de uma orquestra de jazz e dando-lhes a oportunidade de experienciarem momentos que fazem habitualmente parte da vida de um músico profissional.

A coordenação geral da BBJ está a cargo da Orelha Viva - Associação Cultural e do Hot Clube de Portugal, que, além de integrar o projeto entre as suas atividades de iniciação ao jazz, confere suporte administrativo e acolhe semanalmente as suas aulas-ensaio na Escola de Jazz Luiz Villas-Boas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.