Em comunicados idênticos, o D. Maria II e São João explicam que esta decisão é feita num “quadro do esforço nacional de contenção do novo coronavírus, e em articulação estreita com o Ministério da Cultura e Autoridades de Saúde”.

No caso do São João, o público que tenha adquirido bilhetes para “os espetáculos afetados por esta suspensão deverá entrar em contacto com os serviços de bilheteira, através do número grátis 800 10 8675 ou do e-mail bilheteira@tnsj.pt para garantir o respetivo reembolso ou reagendamento dos ingressos”.

Em relação ao D. Maria II, o contacto deverá ser feito através dos contactos 800 213 250 ou do e-mail bilheteira@tndm.pt.

Apesar desta suspensão, os dois teatros garantem que honrarão todos os compromissos financeiros assumidos com os seus trabalhadores e com companhias, artistas e técnicos independentes.

Lamentando “profundamente” a situação, o D. Maria II e o São João estão certos de que o “esforço coletivo da comunidade permitirá ultrapassar o desafio que esta pandemia constitui, “na expectativa de um retorno à normalidade com a brevidade possível”.

No teatro nacional do Rossio, esta suspensão da programação abrange peças como “Fake”, de Miguel Fragata, “Damas da Noite”, de Elmano Sancho, “Onde é a Guerra?”, de Catarina Requeijo, para além das atividades dedicadas ao Dia Mundial do Teatro, que se assinala em 27 de março.

Teatro São João

Já no teatro localizado na Praça da Batalha, os cancelamentos incluem a itinerância da peça “Castro”, de Nuno Cardoso, “A Criada Zerlina”, de João Botelho, “Alma”, de Tiago Correia, “Airbnb e Nuvens: Uma rádio-novela”, de Manuel Tur, e “Wake Up”, de António Afonso Parra e Luís Araújo.

O número de casos confirmados em Portugal de infeção pelo novo coronavírus, que causa a doença COVID-19, subiu hoje para 112, mais 34 do que os contabilizados na quinta-feira, e os casos suspeitos duplicaram para 1308.

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), dos 1308 casos suspeitos, 172 aguardam resultado laboratorial.

Há ainda 5674 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

O boletim de hoje indica que há 11 cadeias de transmissão ativas, quase o dobro das registadas na quinta-feira.

Dos 112 casos confirmados de COVID-19 em Portugal, 107 estão internados.

Entre os doentes internados estão os casos de um menino com menos de 10 anos e de 15 jovens entre os 10 e os 19 anos.

Existem dois casos de doentes infetados internados acima dos 80 anos e seis entre os 70 e os 79.

É entre a população com idades entre os 40 e os 49 anos que se registam mais casos (28) de doentes internados, segundo o boletim da DGS, que indica a existência de 24 casos entre os 30 e 39 anos e 14 casos entre os 50 e os 59 anos.

Há ainda registo de 11 casos entre os 20 e 29 anos, 14 entre os 50 e 59 anos e 11 entre os 60 e 69 anos.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.