O Hostel Dorm, a livraria Ler Devagar e o Café na Fábrica são três das seis salas ocupadas, a 10 e 11 de março, pelo Lisboa Dance Festival, “locais inóspitos, que à partida não estão ligados à música eletrónica”, anunciou hoje Pedro Trigueiro, da organização da iniciativa, numa visita guiada aos vários espaços.

A sala do hostel irá acolher o conceito ‘back to back’ (B2B), onde dois artistas irão ‘confrontar-se’.

Aos já anteriormente anunciados desafios que irão opor Stereossauro a DJ Kwan e Sam the Kid a DJ Big, juntam-se as ‘batalhas’ entre Rita Maia e Satelite, Nitronio e Darsksunn e Dupplo e Señor Pelota.

Na livraria Ler Devagar decorre o Clube Antena3, onde Pedro Coquenão, do projeto Batida, “irá replicar o programa que tem há três anos na rádio”. “Vamos fazer da livraria um clube de dança”, referiu Pedro Trigueiro.

No café ficará instalado o estúdio da Antena3, onde irão decorrer “conversas de café em direto na rádio”, com artistas, media e público.

Além destes três espaços, novidades no festival, o Lisboa Dance Festival irá ocupar a sala Zoot, no edifício principal da Lx Factory, onde vão decorrer as “noites especiais” com “curadorias inéditas” de Branko e Moullinex, “nomes essenciais na atualidade da música portuguesa”, a Fábrica XL e a Fábrica L.

A Fábrica XL é a “sala principal”, que irá acolher as atuações de nomes como Hercules & Love Affair, Marcel Dettmann, George FitzGerald, e Mount Kimbie.

Na Fábrica L vão decorrer as ‘talks’ (debates e conferências) e ‘masterclasses’ (palestras por especialistas), coordenadas pelo jornalista e radialista Rui Miguel Abreu, e o ‘market’ (mercado).

Nas ‘talks’ estarão em destaque: o papel das mulheres no universo da música eletrónica, o crescimento do hip-hop em Portugal e o facto de uma das bases da cena eletrónica global ser Lisboa.

As ‘masterclasses’ serão dedicadas ao ‘DJing’, Masterização e Sampling. Haverá ainda um ‘workshop’ sobre como dominar as redes sociais, “ferramenta fundamental para quem faz música”.

Hoje foram anunciados mais três nomes para o cartaz: os portugueses DJ Glue, Harold e Lince.

“No ano passado, em destaque estiveram o ‘techno’ e o ‘house’ [estilos de música eletrónica]. Este ano a aposta é ir mais longe e abranger uma visão 360º da música eletrónica”, afirmou Karla Campos, da organização, na conferência de apresentação do festival, em novembro.

Os passes para os dois dias do Lisboa Dance Festival já estão à venda e o preço vai aumentando à medida que se aproxima a data da iniciativa.

A primeira edição do Lisboa Dance Festival decorreu a 04 e 05 de março do ano passado.

Cerca de nove mil pessoas estiveram no festival, de acordo com a organização.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.