Apresentado na segunda-feira, o festival, que decorre de 7 a 14 de março, foi criado para homenagear o escritor Raul Brandão, sendo este ano a quarta edição do evento e conta com nomes como Sérgio Godinho, Carlos Tê, Jimmy P, Pedro Abrunhosa, Ana Bacalhau e Carlão, segundo adiantou a diretora da Biblioteca Municipal Raul Brandão, em Guimarães.

"Há um leque variado de convidados, com alguns nomes bastante interessantes do panorama musical, o que representa um grande esforço da autarquia para que o festival ganhe em qualidade, todos os anos, e atraia novos públicos", assinalou Ivone Gonçalves.

Com início marcado para o dia de aniversário da biblioteca, o Húmus vai ainda incluir a Semana da Leitura, envolvendo as escolas do concelho.

"No final, os alunos irão realizar um espetáculo na biblioteca, com o Maze [um dos elementos do coletivo de rap Dealema], sobre a questão das ‘Spoken Words’, a importância da palavra e de como a palavra tem um poder tão forte", disse.

Do lado da câmara, representada pela vereadora da Cultura, Adelina Pinto, o destaque foi dado à "centralidade no livro e na leitura" dada no festival, "dedicado também a adultos".

"Queremos que seja este espaço aberto a novas oportunidades de leitura e de diálogo com o livro. Daí termos as mesas de debate e reflexão, que nos levem a pensar, a ler e a ter novas ideias", referiu Adelina Pinto.

A vereadora apontou também a presença de rappers, como Carlão, e outros músicos, que considerou serem "mediadores de leitura" e que "vão mostrar aos alunos que, para se ser rapper ou cantor, é preciso ser leitor, ter vocabulário e ler o mundo".

O Húmus 2020 começa com uma entrevista de vida ao ex-ministro Laborinho Lúcio e com um espetáculo evocativo dos 100 anos de Amália, com Patrícia Costa.

No dia 12, 153.º aniversário do nascimento de Raul Brandão, sobe ao palco o espetáculo "Angelina Brandão vem à Cidade", numa alusão à mulher do escritor.

"Raul Brandão foi um grande escritor e, apesar de não ser de Guimarães, casou com uma vimaranense, Maria Angelina. Raul Brandão transporta Guimarães nos livros", referiu Adelina Pinto, adiantando que, no mesmo dia, decorre o debate "Escrevo como Canto", com Carlos Tê e Sérgio Godinho.

Outro ponto alto do certame é o espetáculo, no dia 12, "A Minha Vida dava um Livro", que convidou 10 vimaranenses a apresentarem um episódio da sua vida.

“Trata-se de um formato que iniciámos já no ano passado, de uma forma informal e funcionou muito bem. É uma forma pouco doutoral de levar as pessoas a falar de livros e a ler livros", explicou Adelina Pinto.

Este ano, os convites foram feitos a Ivo Martins, Professor Óscar, Miguel Bastos, Sónia Ferreira, Francisca Abreu, Ricardo Batista, Florbela Castro, Rodrigo Areias, Íris Soares e Paula Nogueira.

Em 13 de março, haverá o debate "Amália na Voz", que junta Kátia Guerreiro e Filipa Melo, e a 14 o debate "O Lado Negro da Literatura", seguido de "São letras ou é poesia", contando como convidados Pedro Abrunhosa e Pedro Marques Lopes.

O Húmus vai ainda incluir debates por escolas do concelho, com músicos como Carlão, Jimmy P, Ana Bacalhau e João Só, sobre a temática do ‘bullying', que envolverá cerca de 800 alunos.

"Queremos passar mensagens relacionadas com o ‘bullying’, a interculturalidade ou violência no namoro. Sempre ligado ao livro”, salientou Ivone Gonçalves.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.