Netta, representante de Israel, foi a grande vencedora da edição deste ano do Festival Eurovisão da Canção, que decorreu na Altice Arena, em Lisboa. Depois da vitória, a cantora e o primeiro-ministro do país avançaram que o concurso se iria realizar em Jerusalém.

Para o presidente da Câmara de Dublin, Mícheál Mac Donncha, a Irlanda não deveria participar na edição de 2019 do festival, em Israel. “Acho que não deveríamos mandar um representante”, sublinhou, acrescentando que é "preciso haver solidariedade com o povo da Palestina".

“Eu acho que a terrível provação do povo da Palestina tenha de ser destacada. É preciso haver solidariedade, assim como o povo da África do Sul aquando do apartheid", acrescentou Mícheál Mac Donncha.

No final da conferência de imprensa com a vencedora, no passado sábado, dia 12 de maio, o supervisor executivo do Festival Eurovisão da Canção, Jon Ola Sand, disse que ainda “não foi definida cidade nem data”.

“Vamos a Israel em breve para discutir a próxima edição. Divirtam-se que em breve começa o trabalho a sério”, afirmou, dirigindo-se ao chefe de delegação de Israel, a quem entregou uma “‘pasta de boas-vindas’ com informação inicial”.

Israel venceu no sábado à noite a 63. ª edição do concurso, com a cantora Netta e o tema “Toy”, sendo por isso o país anfitrião da próxima edição.

Israel acolheu o Festival Eurovisão da Canção em 1979 e em 1999, por ter vencido nos anos anteriores.

Em 1980, embora tenha vencido em 1979, o país declinou a oportunidade de organizar o concurso pela segunda vez seguida, acabando por passar para a Holanda.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.